Colo de Mãe

Mãe e vó chefiam lares e são das melhores lembranças que levamos da infância

Mesmo chefiando 40% dos lares, elas são acusadas dos desajustes sociais

mãe conversando com filha adolescente
Fotolia
 

Era uma quinta-feira, por volta das 13h30, quando Luiza, minha primogênita, tentou argumentar que há homens que engravidam. Com paciência, expliquei a ela que apenas as mulheres podem engravidar e que, se havia um homem grávido nas redes sociais, provavelmente era um transgênero.

Inconformada, ela ainda protestava quando eu acabei com a nossa discussão: “Para engravidar, minha filha, é preciso ter um útero. Isso é básico para suas aulas de reprodução humana”, disse eu, com voz firme.

Minha filha tem 11 anos e ainda encontra certa dificuldade para entender o papel das mães e, consequentemente, das avós na sociedade. Mas ela terá tempo para aprender sobre quão importante é ser mãe e avó na vida de alguém.

O que me espanta é ver homens, em pleno século 21, e em grande número, querendo reduzir as mulheres _mães e avós, neste caso_ às responsáveis pelos desajustes sociais. Espanta ver homens que, muitas vezes, não criam seus próprios filhos, mas apontam o dedo para as mães e as avós, culpando-as por mazelas. Mazelas criadas, em geral, pelo abandono masculino que as obriga a criarem seus filhos e netos sozinhas. Realidade, esta, que encontramos nas periferias, no sertão e nas mansões.

Avó é aquela pessoa que faz bolo gostoso, deixa comer doce e dá leite quente antes de dormir. Avó é o ser humano com quem se pode contar a qualquer momento da vida, porque, se ela ainda estiver viva e se estiver perto da gente, vai sempre acalmar nosso coração.

Eu não tive as minhas avós presentes. Eu morava em São Paulo, e elas, em Pernambuco, mas, nas poucas vezes em que fui visitá-las, sentia o quanto era gostoso estar com elas, que me faziam entender a minha história.

Por isso, há sete anos, quando resolvi que deixaria a vida no interior para voltar à capital, uma das minhas maiores motivações foi querer criar minha Luiza ao lado da avó. Poucos meses depois, a vida nos deu Laura e, hoje, minha mãe é a grande companheira na educação delas, nutrindo um amor desmedido pelas meninas.

E sobre a mãe? Nós somos o passaporte de todo e qualquer ser humano à vida. Somos nós as responsáveis por carregar e parir. Somos nós que produzimos o alimento que vai nutrir o filho para sempre. Mesmo que a amamentação não siga por seis meses seguidos, mesmo que não seja exclusiva ou livre demanda. Mesmo com todos os problemas, o primeiro alimento de um filho provém de sua mãe. De seu ventre. De seu seio. A ligação é tão gigante que a criança acredita por um bom tempo ser extensão da mãe nessa existência.

Por isso é preciso deixar muito claro para todas as pessoas _principalmente aos homens_ que é a mãe, aquela que dedica tudo ao filho, que o coloca acima dela, a responsável pelos ajustes e acertos da sociedade. Somos nós que fazemos a roda da fortuna, da prosperidade e da vida girar. Somos fortes e necessárias.

CAIXA COM PRIMEIROS CLÁSSICOS ENCANTA

Seis histórias originais da Disney estão reunidas em uma caixa lançada pela Editora Melhoramentos, neste ano, para comemorar os 75 anos de parceria entre as empresas.

Pato Donald, Pinocchio, Mickey, o Matador de Gigantes, o Elefante Elmer, Pablo, o Pinguim e Branca de Neve e os Sete Anões _originalmente publicados entre 1943 e 1954_ fazem parte da edição comemorativa.

Além das histórias, que encantam adultos e crianças, os desenhos são os originais da época e uma forma de conhecer como era o traço quando surgiram personagens que sobrevivem até hoje, como é o caso do Mickey e do Pato Donald. O formato reproduz exatamente as publicações daquela época. O preço sugerido para venda é a partir de R$ 90.
 

Colo de Mãe

Cristiane Gercina, 39, é mãe de Luiza, 11, e Laura, 6. É apaixonada pelas filhas e por literatura. Graduada e pós-graduada pela Unesp, é editora-assistente de Grana do jornal Agora, empresa do Grupo Folha. Quer ver o desenho do seu filho publicado na coluna? Envie-o para o email colodemae@grupofolha.com.br com nome completo e idade da criança, nome e celular do responsável.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias