Cinema e Séries
Descrição de chapéu Cinema

'Viúva Negra' é adiado e chega ao Disney+ em julho com custo extra

'Cruella' e 'Luca' também poderão ser vistos no serviço de streaming

Scarlett Johansson durante evento em Los Angeles - Mario Anzuoni-22.abr.2019/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Lisa Richwine
Los Angeles
Reuters

A Disney anunciou nesta terça-feira (23) que adiou o lançamento mundial de "Viúva Negra", da Marvel Studios. Com isso, os fãs terão de esperar mais dois meses para ver o filme, que só vai chegar aos cinemas em julho.

Além disso, a empresa vai oferecer o filme simultaneamente no serviço de streaming Disney+ mediante o pagamento de uma taxa extra. A produção traz Scarlet Johansson no papel da espiã russa que se torna super-heroína.

As operadoras de cinemas esperavam que "Viúva Negra" desse início à temporada de blockbusters do verão do hemisfério norte no início de maio, atraindo as pessoas de volta aos cinemas após os longos fechamentos por conta da pandemia de coronavírus. As ações da AMC Entertainment, maior operadora de cinemas do mundo, despencaram 16% após o anúncio.

A Disney anunciou ainda que o filme "Cruella" também será oferecido por uma taxa extra aos assinantes do Disney+ no mesmo dia em que o filme chegar aos cinemas, no dia 28 de maio. O filme traz a atriz Emma Stone no papel da vilã de "Os 101 Dálmatas".

"Cruella" e "Viúva Negra" irão custar aos assinantes da Disney+ um adicional de US$ 30 (cerca de R$ 165) para assistir em casa por streaming nos Estados Unidos. Não foi informado se esse também será o valor no Brasil.

Já a animação "Luca", da Pixar, vai estrear para todos os assinantes do Disney+ no dia 18 de junho. O filme será exibido nos cinemas apenas nos mercados internacionais que ainda não possuem acesso ao serviço de streaming —ele já está disponível na maior parte do mundo, mas acabou de ser lançado na Ásia.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem