Cinema e Séries

'Malévola: Dona do Mal' tem metade da arrecadação do 1º filme, mas supera 'Coringa'

Produção registrou o pior fim de semana de abertura do ano para a Disney

Angelina Jolie diz que "Malévola" é seu alter ego
Angelina Jolie diz que "Malévola" é seu alter ego - Divulgação/Disney
Rebecca Rubin
Los Angeles

Cinco anos após a "Malévola" de Angelina Jolie, 44, lançar um feitiço e ser sucesso nas salas de cinema, a encantadora vilã voltou ao topo das bilheterias dos Estados Unidos.

A produção da Disney “Malévola: Dona do Mal”, uma sequência do filme de 2014 baseado na bruxa de “A Bela Adormecida”, estreou em 2.790 cinemas dos EUA com arrecadação de US$ 36 milhões (R$ 149 milhões), quase metade do que o primeiro filme arrecadou em seu fim de semana de estreia (US$ 69 milhões ou R$ 285,4 milhões).

Apesar de estrear abaixo das projeções antes do fim de semana, “Malévola: Dona do Mal” facilmente superou a concorrência, incluindo “Coringa”, da Warner Bros, e o estreante da Sony “Zombieland: Double Tap”.

A sequência de “Malévola” desfrutou da posição de ser uma das poucas opções para jovens espectadoras em um mercado amplamente dominado por títulos voltados para homens, como “Coringa” e “Projeto Gemini”, da Paramount. Mulheres representaram 56% das espectadoras, das quais cerca de 50% têm menos de 25 anos.

“Malévola: Dona do Mal” registrou o pior fim de semana de abertura do ano para a Disney e agora dependerá de bilheterias mundo afora para recuperar o orçamento de US$ 185 milhões (R$ 765,3 milhões).

O filme teve exibições muito mais promissoras no exterior, arrecadando US$ 117 milhões (R$ 484 milhões) de uma estreia global de US$ 150 milhões (R$ 620,5 milhões). O primeiro filme da sequência estreou com uma impressionante arrecadação de US$ 517 milhões (R$ 2,1 bilhões) no exterior e outros US$ 241 milhões (R$ 997 milhões) no mercado doméstico.

Elle Fanning também voltou às telas na sequência, unindo-se a Michelle Pfeiffer, Ed Skrein e Chiwetel Ejiofor, estreantes na série. “Malévola: Dona do Mal” foi dirigido por Joachim Ronning (“Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar”).

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem