Cinema e Séries

Marjorie Estiano diz que intensidade dramática de 'Sob Pressão' a fez ter pesadelos após gravações

Série estreia nesta quinta (2) na Globo, e trará Drica Moraes

Carolina (Marjorie Estiano) terá novos desafios em "Sob Pressão"
Carolina (Marjorie Estiano) terá novos desafios em "Sob Pressão" - Divulgação/Globo
São Paulo

No final das gravações da terceira temporada de "Sob Pressão", Marjorie Estiano, 37, sentiu na pele a mesma exaustão de sua personagem, a médica Carolina. "Eu tinha pesadelos e não estava conseguindo dormir. E olha que eu não vivi isso uma vida inteira. Fico imaginando o médico que passa uma vida tendo essa realidade [na saúde pública], com esse dia a dia, esse cotidiano."

A série médica que propõe uma reflexão sobre o drama da saúde no Brasil volta para a sua terceira e última temporada nesta quinta-feira (2) –a série também pode ser vista no GloboPlay. Depois do fechamento do hospital Macedão, Carolina e Evandro (Julio Andrade) estão trabalhando no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) no primeiro episódio da nova safra de capítulos. 

Em meio ao caos provocado pela greve dos caminhoneiros, e na tentativa de salvar um menino que tem um espeto de churrasco cravado no tórax, eles encontram ajuda no Hospital São Tomé Apóstolo. É essa unidade hospitalar que vai se tornar palco principal da história, com Evandro assumindo o cargo de diretor do hospital e Carolina, o de chefe da emergência.

Marjorie Estiano conta que a sua personagem vai entrar em conflito com a profissão ao longo desta temporada. "Ela vai meio ladeira abaixo perdendo as motivações para permanecer agindo como ela sempre agiu."

Para conseguir passar esse desgaste ao público, a atriz revela que o seu trabalho foi "não renovar a energia" e deixar o peso de tudo o que Carolina enfrentou se acumular. "Os últimos episódios foram os mais desgastantes fisicamente e emocionalmente. Eu ficava exaurida mesmo."

Julio Andrade complementa que não há cena fácil ou tranquila na série. "Não tem aquela cena de café da manhã, que acorda, toma café, fala alguma coisa do cotidiano. 'Sob Pressão' é sob pressão mesmo." É no limite, estamos sempre no limite", acrescenta Marjorie em referência ao reality show que passou na Globo de 2000 a 2009 e testava os limites de sobrevivência dos participan'tes.

Pelo fato de o programa mostrar as mazelas da saúde pública no país –muitos dos dramas apresentados na atração são espelhados na realidade, como o caso do menino com um espeto de churrasco cravado no tórax– o ator também disse que ficava muito abalado durante as gravações. "Quando acaba, eu emagreço e demoro umas duas semanas para conseguir dar um sorriso." 

Por outro lado, os dois atores destacam que se sentem orgulhosos pelo trabalho realizado. "O que nos nutria era a motivação do que a gente estava falando. Era daí que vinha a energia, e acho que para a equipe inteira para conseguir sobrepor esse desgaste", diz Marjorie.

Todos os episódios desta temporada foram gravados no segundo semestre de 2018, o que significa que os atores ficaram um ano trabalhando na série, já que a segunda também foi filmada no ano passado. Apesar dos desafios, a atriz afirma que sai muito amadurecida e com um olhar mais generoso em relação ao próximo. 

Ela cita o retorno do público, que se sentiu representado pela personagem, especialmente de mulheres que, assim como a médica Carolina, foram vítimas de abuso sexual e enfrentaram o drama da automutilação. Isso marcou e reforçou o entendimento dela sobre o papel que a ficção pode ter na vida do espectador.

"Recebi esse retorno, dessas pessoas que se sentiram vistas, percebidas e respeitadas, porque a Carolina não se vitimizava, não era uma pessoa frágil. Ela tinha as fragilidades dela, mas era uma pessoa que estava ali lutando. Isso fortalece, motiva, e inspira", destaca. 

Julio Andrade também salientou a recepção do público como um dos pontos altos do trabalho. "Saber que a gente inspira médicos e a saúde como um todo, dá muito orgulho. Várias vezes, jovens me falaram: 'Estou estudando medicina por causa do dr. Evandro'." 

DRAMAS PESSOAIS

Na nova frase da trama, Carolina e Evandro vão enfrentar também conflitos no relacionamento e dramas pessoais. Para Lucas Paraizo, redator de "Sob Pressão", a ideia desta temporada é discutir qual é o preço pessoal de ter uma vida profissional tão turbulenta como a dos médicos. "Como você leva para casa um problema desse, como convive com isso?"

O casal vai entrar em choque, porque Evandro quer ter um filho, mas Carolina não se sente preparada para ser mãe. Além disso, uma terceira personagem pode abalar o casamento dos dois. Será Diana (Ana Flávia Cavalcanti). Irmã de uma paciente e usuária de drogas, ela começa a participar de reuniões dos Narcóticos Anônimos e será apadrinhada por Evandro.

"Carolina tem uma relação de trauma com a infância muito forte. Ela tem medo de não se tornar uma boa mãe, mas também teme que a maternidade afete seu trabalho, que é no que ela mais se agarrou para conseguir sobreviver", explica o redator. 

Marjorie afirma que a sua personagem enfrenta várias questões. "Ela carrega a sombra do abuso, a questão da maternidade, os casos dos pacientes", diz. E adianta: "O trabalho é onde ela encontra uma estrutura, a fé nas coisas. Quando isso se abala, ela fica sem chão e sem ter onde se segurar."

"Sob Pressão" terá várias participações nesta temporada. O primeiro episódio conta com a presença de Joana Fomm, madre superiora do Hospital São Tomé. A partir do segundo, Drica Moraes entra no elenco como a médica Vera. Bruno Ferrari, Eliezer Motta, Neuza Borges, Walter Breda e outros atores também vão fazer participações ao longo dos capítulos.

"Sob Pressão" - 3ª Temporada

  • Quando Quintas, às 22h20
  • Onde Globo
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem