Cinema e Séries

'Sob Pressão' volta com Drica Moraes no elenco e assuntos como greve de caminhoneiros e milícias

Autor diz que série não quer só entreter, mas também fazer refletir

Equipe de médicos prestam homenagens a Samuel (Stepan Nercessian) na segunda temporada
Equipe de médicos prestam homenagens a Samuel (Stepan Nercessian) na segunda temporada - Divulgação
Karina Matias
São Paulo

A greve dos caminhoneiros que paralisou o país em maio de 2018 e a atuação das milícias em algumas comunidades do Rio de Janeiro são alguns dos assuntos abordados na terceira e última temporada da série médica "Sob Pressão" (Globo), que volta ao ar no dia 2 de maio.

Os médicos Carolina (Marjorie Estiano) e Evandro (Julio Andrade) estarão de volta, agora trabalhando no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) mas com o objetivo de se juntarem aos Médicos Sem Fronteiras, após o fechamento do hospital público Luiz Carlos Macedo, o Macedão, por corrupção.

Tudo muda, no entanto, quando o casal tenta salvar um menino que tem um espeto de churrasco cravado no tórax em meio ao caos da paralisação dos caminhoneiros. Ação e emoção se misturam, e os médicos acabam encontrando ajuda no Hospital São Tomé Apóstolo, onde Décio (Bruno Garcia) já trabalha.

A partir daí, a unidade vira o palco principal da nova temporada, com Evandro assumindo o cargo de diretor do hospital e Carolina, o de chefe da emergência. 

 

Segundo Lucas Paraizo, autor da série, a nova temporada segue com o objetivo de não só entreter, mas também fazer o público refletir sobre a realidade do país e sobre como a violência urbana afeta a saúde pública.

"É uma temporada ‘faca na pele’, mais até do que as outras que já fizemos, porque estamos precisando lembrar que a saúde é prioridade”, afirmou ele nesta quarta-feira (17) no lançamento da série. 

Além dos problemas de saúde pública, Carolina e Evandro terão que lidar com as milícias que dominam a região do novo hospital. Por uma coincidência, o assunto ganhou destaque nos últimos dias com o desabamento de dois prédios, na comunidade da Muzema (zona oeste) dominada pelo poder paralelo. 

“O nosso episódio seis da nova temporada é o Muzema. Aconteceu muito isso na série. Coisas que escrevíamos na ficção e se repetiam na realidade depois”, disse o diretor Andrucha Waddington.

Para Marjorie Estiano, mais do que antecipar ou adivinhar situações reais, a série mostra como muitos dos problemas do país são reincidentes. “São inúmeros desabamentos, inúmeros espancamentos, casos de feminicídio. Nós não antecipamos. A série está se espelhando em coisas que já aconteceram e que provavelmente vão acontecer novamente, se não for feito alguma coisa a respeito”, disse ela.  

NOVIDADE NO ELENCO

Uma das novidades do último ano é a chegada da médica infectologista Vera, vivida por Drica Moraes. “É uma personagem que vem com uma marra, uma truculência, e que traz muitas marcas do passado. Mas ao longo da temporada, ela vai se humanizando em contato com os médicos do hospital”. Vera e Carolina vão se tornar grandes amigas na série. 

A terceira temporada também vai mostrar os dramas pessoais dos médicos e conflitos no casamento de Carolina e Evandro.

Questionados sobre a possibilidade de uma quarta temporada, Waddington disse que há “gás e assunto” para continuar com a série, mas o término foi uma decisão da Globo. O prosseguimento da atração no futuro, porém, não está completamente descartado até mesmo em outras plataformas.

Lucas Paraizo revela que “Sob Pressao” termina com um “gancho surpresa”.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias