Carnaval

Na Sapucaí desde 1995, Viviane Araújo sonha em desfilar grávida na avenida: 'Se Deus me permitir'

Atriz é rainha de bateria da Salgueiro e da Mancha Verde

Viviane Araújo desfila como rainha de bateria da Salgueiro no Carnaval de 2018 Ricardo Moraes - 13.fev.2018/Reuters

Sarah Mota Resende
São Paulo

​Ela é atriz de novela da Globo e uma das queridinhas de Aguinaldo Silva. Foi garota Fantástico (1994), cantora de forró na banda Chamego de Menina (2008), vencedora de A Fazenda 5, reality da Record (2012) e finalista de concurso de dança do É O Tchan, quando perdeu para a vencedora Scheila Carvalho (1997). 

Nada disso, entretanto, parece ter tanto peso na vida de Viviane Araújo, 43, quanto o Carnaval. Rainha de bateria da Mancha Verde, escola de samba de São Paulo, e da Salgueiro, agremiação do Rio de Janeiro, ninguém atrai mais holofotes que ela nesta época do ano.

"Eu sempre gostei de Carnaval, sempre gostei de curtir baile de Carnaval. Morava num bairro que tinha Carnaval de rua, na praça, no coreto. E eu sempre gostei de pular Carnaval, de me fantasiar", diz Viviane Araújo ao F5. 

Seus primeiros desfiles foram em 1995, pela Império da Tijuca e pela Beija-Flor. Tinha 20 anos. De lá para cá, não parou mais: Mangueira, Caprichosos de Pilares, Império Serrano, entre outras. 

"Eu encaro [os desfiles] de  duas formas. Primeiro, como uma realização pessoal, sabe, um prazer, uma alegria, uma enorme satisfação em estar ali fazendo o que eu amo, o que eu gosto. E não é que eu encaro como um trabalho, mas como uma responsabilidade, uma grande responsabilidade que eu tenho ali a frente da minha escola, da bateria."

São quase 24 anos ininterruptos desfilando no Carnaval, tempo que pode parecer suficiente para alguém realizar todas as vontade e aspirações de uma foliona que reina absoluta. Não para Viviane Araújo, que mantém o desejo de desfilar grávida, como fez Fernanda Lima, em 2008, quando foi destaque da Grande Rio, e Luiza Brunet, em 1999, quando foi madrinha da Imperatriz Leopoldinense.

"Eu tenho o sonho, que eu já até falei disso, que é de desfilar grávida na avenida. Isso eu tenho vontade de realizar, se Deus me permitir", afirma.  

Discreta, Viviane Araújo não fala mais da vida pessoal. O que se sabe de oficial é que ela teve dois relacionamentos duradouros que atraíram holofotes por envolver nomes famosos —o primeiro com o cantor Belo, que durou nove anos, de 1998 a 2007; e o segundo com o jogador de futebol Radamés, hoje atleta do Brasiliense, de 2007 a 2017. 

ROTINA INTENSA

O Carnaval de 2019 coincide com as gravações da atual novela da faixa das 21 horas da Globo, "O Sétimo Guardião". Na trama de horário nobre, Viviane Araújo interpreta Neide, mãe da mocinha e personagem principal, Luz, vivida por Marina Ruy Barbosa

Conciliar a rotina de ensaios e gravações do principal produto da Globo é, para Viviane Araújo, desafiador, apesar de cansativo. "O tempo realmente fica louco, com gravação, com ensaio, e com compromissos e agenda, viagem e trabalho. Mas é um esforço que, para mim, vale a pena. Eu fico cansada, mas quando eu tenho um dia de folga eu tiro para descansar e para não fazer nada. É quando eu recarrego minha energia." 

Como desfilar na avenida exige preparação do físico e bastante fôlego —afinal, são horas sambando em cima de salto alto e pesadas fantasias e adereços na cabeça e nos ombros, principalmente—, Viviane Araújo intensifica os cuidados com o corpo cerca de dois meses antes do Carnaval.

As mudanças incluem ajustes nos cardápios nos exercícios diários de musculação. No "dia D", Viviane Araújo afirma que a dieta não pede mudanças bruscas —o almoço, diz, continua normal com carboidrato, proteína e salada. 

Durante as apresentações na Sapucaí e no Anhembi, ela não deixa faltar líquido. "Bebo bastante água porque a boca seca mesmo. Então você, mesmo quando está desfilando, você vai ali no cantinho e toma água, que é muito importante."

No final, todo o esforço é recompensado, dado a relação de Viviane Araújo com a folia. "A melhor sensação de estar na avenida é você sentir a energia, a vibração e a resposta do público, sabe, quando se está passando ali. Eu sinto, eu vejo no olhar das pessoas a vibração, a energia, a alegria de quando eu estou passando na avenida. Eu me emociono. E eu vejo as pessoas e me emociono mais ainda." 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias