Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Eva Mendes diz que voltará a atuar, mas em papéis sem sexo ou violência

Casada com Ryan Gosling, atriz está longe das telas há quase oito anos

A atriz Eva Mendes - AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Afastada das telas desde 2014, a atriz Eva Mendes, 48, contou que irá voltar a atuar, mas apenas irá aceitar papéis que se encaixem em suas exigências. "Eu tenho uma lista tão pequena do que vou fazer", afirmou a esposa de Ryan Gosling, 41.

Em entrevista ao programa The View, ela afirmou que a partir de agora "não vou fazer violência, não quero fazer sexualidade; a lista é curta". Seu último trabalho como atriz foi realizado há quase oito anos, em "The Lost River", filme dirigido e roteirizado por Gosling.

A artista chegou a dizer que espera aceitar um trabalho que se encaixe em seus critérios. "Tem que ser bonito e limpo", completou. "Coisas como a Disney faz", sugeriu então Whoopi Goldberg, co-apresentadora do programa. "Disney! Perfeito", respondeu Mendes.

Em outubro de 2020, a atriz chegou a afirmar que ficar longe das produções foi uma escolha sua, para poder se dedicar às filhas, Esmeralda, 6, e Amada, 4. Na época, ela disse que "começando a sentir a ambição voltar".

"Acho que, no que diz respeito à minha ambição, isso não foi embora, apenas passou para as crianças", diz ela. "Eu aplaudo e admiro mulheres que podem fazer tudo, mas eu não sou uma delas. E, felizmente, eu tenho uma escolha de não trabalhar e percebo o quão sortuda eu sou por isso ser uma escolha."

Famosa por filmes como "Hitch" (2005) e "Velozes e Furiosos 2" (2003), Eva começou sua carreira com aparições em clipes dos Pet Shop Boys e do Aerosmith, e percebeu cedo que Hollywood tinha muito a aprender sobre diversidade.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem