Celebridades

Paulo Gustavo é velado em cerimônia restrita a familiares e amigos próximos

Humorista de 42 anos morreu após complicações de Covid

Thales Bretas, marido de Paulo Gustavo, chega para velório do ator em Niterói
Thales Bretas, marido de Paulo Gustavo, chega para velório do ator em Niterói - Marcelo Sá Barretto/AgNews
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O corpo de Paulo Gustavo está sendo velado nesse momento em Niterói (RJ). Segundo a assessoria do ator, a cerimônia é restrita a parentes e amigos próximos.

Thales Bretas, marido de Paulo Gustavo, foi um dos primeiros a chegar ao velório. A mãe do ator, Déa Lúcia, e sua irmã, Ju Amaral, também já estão no local. Ao final da cerimônia, o corpo do humorista será cremado.

Amigos próximos devem passar pelo velório na tarde dessa quinta-feira (6), como a cantora Preta Gil, 46, e seu marido, Rodrigo Godoy, 32. Segundo a assessoria do ator, haverá um rodízio entre as pessoas que irão prestar homenagens para evitar aglomerações.

Já passaram pelo local, além de Preta Gil e seu marido, as atrizes Ingrid Guimarães, 48, Heloísa Périssé, 54, e Mônica Martelli, 52, a modelo Carol Trentini, 33, o comediante Marcus Majella, 41, a humorista Tatá Werneck, 37, e seu marido, Rafael Vitti, 25, e o Padre Omar.

Paulo Gustavo morreu na última terça-feira (4), aos 42 anos, após quase dois meses internado em um hospital da zona sul do Rio, devido a complicações da Covid. Antes da confirmação de morte, a equipe médica já tinha classificado seu quadro como irreversível.

“Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante”, afirmava o último boletim médico.

O ator foi internado no dia 13 de março e respondeu bem ao tratamento. Porém, no dia 2 de abril, seu estado piorou e ele passou a respirar com a ajuda de ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), uma espécie de pulmão artificial.

Nos dias seguinte, a equipe médica identificou uma fístula broncopleural, espécie de comunicação anormal entre os brônquios e a pleura, que foi corrigida. Paulo Gustavo também teve que receber uma transfusão de sangue, segundo seu marido.

Dias depois foi realizada uma toracoscopia, na qual uma nova fístula broncopleural foi identificada e corrigida. “Todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação”, afirmou boletim médico divulgado no último dia 11.

Muitos famosos lamentaram a morte do ator, desde amigos até a cantora americana Beyoncé. “Aplaudam de pé esse grande homem! Gritem bravo! Façam uma homenagem a Paulo Gustavo em suas casas. Aplaudam de pé esse grande artista”, afirmou Tatá Werneck em suas redes sociais.

O presidente Jair Bolsonaro também deu seus votos “pelo passamento do ator e diretor Paulo Gustavo”. “Que Deus o receba com alegria e conforte o coração de seus familiares e amigos, bem como de todos aqueles vitimados nessa luta contra a Covid.”

O escritor Paulo Coelho, 73, prestou uma homenagem ao ator e utilizou frases negacionistas para protestar sobre a pandemia. “Assassinos de Paulo Gustavo: quem dizia ‘é só uma gripezinha’, ‘não passa de 200 mortes’, ‘cloroquina resolve’”, disse.

A lista continuou: “‘gente morre todo dia’, ‘lockdown destrói o país’, ‘máscara nos faz respirar ar viciado’, ‘eu obedeço o comandante’, e por aí vai. Canalhas da pior espécie”, completou o autor que já vendeu 320 milhões de exemplares de seus 30 livros.

Paulo Gustavo foi o criador de diferentes personagens de humor. Dona Hermínia é a mais famosa deles e uma campeã de bilheterias nos cinemas com a trilogia “Minha Mãe É uma Peça”. “Essa personagem mudou minha vida para sempre. Nunca imaginei que o que eu escrevia fosse ter essa repercussão dessas”, chegou a afirmar o ator.

Ela e outros personagens marcantes de Paulo Gustavo, como Maria Enfisema e Senhora dos Absurdos fizeram parte do 220 Volts, programa exibido entre 2011 e 2016 no Multishow, e que ganhou um especial em 2020, com transmissão na Globo.

Ele também interpretou o delegado Lupicínio no “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, em 2007. Em outubro daquele ano, no extinto Vídeo Show, Paulo Gustavo afirmou que o programa foi seu primeiro contato com a televisão. “Um aprendizado”, disse ele.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem