Celebridades

Idris Elba diz que no futuro humanidade deveria adotar 'quarentena voluntária'

Cineasta afirma que atitude seria uma forma de homenagear o próximo

Idris Elba contraiu o coronavírus em março, e disse que teve apenas sintomas leves
Idris Elba contraiu o coronavírus em março, e disse que teve apenas sintomas leves - Amy Sussman/Getty Images/AFP
São Paulo

O ator e cineasta britânico Idris Elba, 47, fez uma afirmação surpreendente ao jornal inglês The Independent. Elba defende a ideia que no futuro, a humanidade deveria adotar a quarentena voluntária para se lembrar do atual momento da pandemia do novo coronavírus.

“Eu acho que o mundo deve realizar uma semana de quarentena todos os anos, apenas para lembrar o que temos vivido. Para se lembrar do próximo”, disse o ator, que foi uma das primeiras celebridades a confirmar que contraiu o vírus no início de março.

Ainda na recente entrevista, Elba também comparou o período de isolamento social ao processo de hibernação, que levaria as pessoas a perceberem que “o mundo não funciona no seu calendário.”

O ator conhecido por seu papel na série de televisão norte-americana "Luther", divulgou um novo fundo da Organização das Nações Unidas para ajudar agricultores de países mais pobres, pedindo às economias mais ricas que ajudem a evitar “fome e sofrimento” decorrentes da pandemia de coronavírus.

Elba e sua mulher, a modelo e ativista Sabrina Dhowre Elba, deram seu apoio à iniciativa criada pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) para ajudar a conter os impactos econômicos causados ​​pela Covid-19. “As economias avançadas do mundo estão no meio dessa pandemia no momento e, é claro, precisam fazer tudo o que podem para ajudar seu próprio povo”, disse o cineastra através de um comunicado.

Bastante ativo nas redes sociais, Idris Elba chegou a comentar sobre uma teoria que rondou a web em meados de março. "As pessoas querem espalhar isso como se fosse uma notícia. Isso é uma merda", afirmou em uma live na sua rede social, sobre os boatos de que teria sido pago para dizer que estava com coronavírus.

"Essa ideia de que alguém como eu será pago para dizer 'eu tenho coronavírus', isso é uma besteira, uma maldade", disse o ator. "Acho que o debate sobre ricos e pobres que estou ou não com a doença não é saudável. É como, eu fiz um teste, mas também a Covid-19. Isso me torna preferencial? Eu não entendo isso."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem