Celebridades

'Se eu era perseguida nas lojas, não sou mais', diz Iza sobre preconceito e privilégios da fama

Cantora acaba de lançar música com os americanos Ciara e Major Lazer

Iza em cena do clipa Evapora; ela está no deserto, de maiô dourado, com céu azul ao fundo
Iza em cena de 'Evapora', que gravou com Ciara e Major Lazer - Reprodução/Instagram@iza
São Paulo

​Iza acaba de dar o primeiro passo para uma escalada fora do Brasil. Ainda que negue –”não vejo como carreira internacional”–, o fato é que o single “Evapora”, que lançou com a estrela pop Ciara e o grupo Major Lazer na última sexta (8), deve projetá-la internacionalmente.

A música, primeira parceria internacional da cantora, já acumula 5,2 milhões de visualizações no YouTube. E nasceu de forma inesperada. "Foi por causa de um olho machucado na minha lua de mel", conta Iza, rindo, ao F5.

Na época, ela teve que deixar o resort em que estava com o marido, Sérgio Santos, para procurar um pronto-socorro. Nessa saída, descobriu que o DJ Diplo, do Major Lazer, também estava na República Dominicana. Conversaram e combinaram de produzir juntos uma música.

Meses depois, Ciara veio passar o Carnaval no Brasil. "Sou muito fã dela e quis mostrar a música. Pensei: se ela gostar, ótimo! Se não, pelo menos tiramos uma foto juntas”, brinca Iza. Deu certo. A cantora norte-americana não só topou participar como arriscou cantar uma parte de "Evapora", em português.

Mas se não espera começar uma carreira internacional com essa parceria, Iza é consciente sobre o que o lançamento do clipe representa para ela como brasileira e mulher negra. "Acho que a música vai me dar uma visibilidade internacional que eu não tinha antes. É muito legal ver uma negra ganhando lugar de destaque e visibilidade por conta do seu trabalho." 

O destaque, aliás, vem após outra negra, a jornalista Maju Coutinho ter sido duramente criticada ao assumir a bancada do Jornal Hoje (Globo). "Parece que as pessoas deixam os erros de outros âncoras passarem [e os dela não]. Apesar disso, a Maju continua no lugar onde ela está, que é merecido. Comentários com machismo e racismo sempre aconteceram, mas fico feliz de pensar, ainda assim, que a gente continua aqui. Eu via muito menos de mim na TV antes", avalia a artista.

PRIVILÉGIOS E ​​SEM POLÊMICAS 

Iza também é clara ao admitir que o lugar que ocupa, hoje, a faz estar em uma posição privilegiada com relação a outras mulheres e negras do país. "Eu lembro que antes eu cortava caminho para não passar em determinados bares, eu era muito assediada. E isso é uma coisa que acontece com várias mulheres; quantas vezes a gente não muda de calçada porque é assediada?”, diz. “Hoje, eu ando com seguranças.”

“Se eu entrava em algumas lojas e era perseguida, agora [que sou famosa] não sou mais. Isso deixa tudo mais doloroso para mim, porque vai além da cor. Tem a ver com classe social, tem a ver com dinheiro, tem a ver com quem você é. E isso é péssimo.”

No auge de sua carreira e após ser jurada do programa ​The Voice (Globo), ao lado de Ivete Sangalo, Michel Teló e Lulu Santos, Iza ainda angaria pontos por não se envolver em polêmicas. "Eu não sou de ficar postando muito, de ficar falando muito ou doando a minha vida pessoal para as pessoas. Acho que, quanto mais você dá, mais os outros têm o direito de cobrar", diz. "E tem um limite." A cantora já está confirmada para próxima temporada do reality musical. 

No momento em que lançava "Evapora", na última sexta (8), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixava a sede da Polícia Federal, em Curitiba, depois da mudança do entendimento do STF sobre prisão após condenação em segunda instância. Ela preferiu não comentar.

"Eu tenho uma posição. Mas se eu falar, a matéria vai virar só isso. A gente marca uma conversa para falar só sobre isso depois", afirmou ao deixar o local da entrevista. Sem polemizar. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem