Celebridades

Angelina Jolie afirma que Brad Pitt a impede de morar fora dos EUA por conta dos filhos

'Tenho que ficar onde o pai dos meus filhos escolhe morar', diz a atriz

Angelina Jolie no lançamento do filme "Malévola" em Londres
Angelina Jolie no lançamento do filme "Malévola" em Londres - Peter Nicholls/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Angelina Jolie, 44, afirmou que gostaria de morar fora dos Estados Unidos, mas não pode pelo fato de dividir a custódia dos filhos com o ator Brad Pitt, 55.

"Eu adoraria morar no exterior e o farei assim que meu filhos tiverem 18 anos. No momento, tenho que ficar onde o pai deles escolhe residir", disse ela em entrevista à revista Harper's Bazaar dos Estados Unidos. 

Jolie e Pitt são pais de Maddox, 18, Pax, 15, Zahara, 14, Shiloh, 13, e dos gêmeos Know e Vivienne, 11. 

Chamados na internet pelo apelido de Brangelina, Jolie e Pitt se conheceram durante as filmagens do longa de ação “Sr. e Sra. Smith”, em 2003, e começaram a namorar no ano seguinte 

Depois de dez anos juntos e dois de casamento, Jolie entrou com o pedido de divórcio em setembro de 2016, quando pediu a guarda dos filhos. A imprensa internacional apontou na época que a separação foi motivada pelo comportamento de Pitt, que teria abusado verbal e fisicamente do filho mais velho do casal durante uma viagem de avião. 

O casal passou por um divórcio pouco amigável. Angelina queria ter a custódia integral das crianças, enquanto Pitt queria a guarda compartilhada. 

Foram dois anos de negociações até que em dezembro do ano passado foi anunciado que eles chegaram a um acordo. “O acordo, que é baseado nas recomendações do avaliador de custódia infantil, elimina a necessidade de um julgamento. A ação e os detalhes do acordo são confidenciais para proteger os interesses das crianças", disse na ocasião a advogada de Jolie, Samantha Bley DeJean, em comunicado à Reuters. 

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem