Música

'Foi horrível, alvoroçaram a minha bunda', diz Liniker, cantora trans, sobre assédio em show

 Liniker no 28 Premio da Musica Brasileira. Theatro Municipal, Rio de Janeiro
Liniker no 28 Premio da Musica Brasileira. Theatro Municipal, Rio de Janeiro - ZO -19-07-2017/Folhapress


Liniker, 22, vocalista da banda "Liniker e os Caramelows", registrou em seu perfil no Instagram que se sentiu objetificada durante um show em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. A cantora usou o stories (ferramenta de vídeo do aplicativo onde o conteúdo postado desaparece em 24hs) para relatar o ocorrido  logo depois da apresentação. "Foi horrível, alvoroçaram a minha bunda."

A cantora trans foi assediada por um grupo de pessoas que estava na plateia quando se misturou aos fãs para cantar a faixa "Prendedor de Varal", do álbum de estreia "Remonta"(2016).

Liniker diz ter se sentido "muito incomodada, triste, chateada, não sabia onde enfiar a minha cara."

 "Decidi falar, fiquei muito brava, fiquei puta, fiquei com raiva. Por, mais uma vez, objetificarem meu corpo preto, objetificarem minha bunda. Não quero ser objetificada por ninguém."

ATIVISMO ONLINE

A conta do Instagram da cantora tem quase 300 mil seguidores. Ciente do alcance de suas publicações, decidiu registrar o caso de assédio.

"Eu estou, sim, usando minhas redes sociais para falar o que aconteceu hoje. Para você, que apertou a minha bunda e que está vendo esse stories, nunca mais faça isso com ninguém."

A cantora também falou sobre um sentimento de culpa, mesmo sendo vítima. "É muito maluco porque depois do que aconteceu, quem ficou se sentindo culpada fui eu. Não vou me sentir culpada por invadirem meu corpo".

Liniker também incentivou que seus seguidores a usarem a internet para denunciar esse tipo de ação e não deixarem de tratar isso como um crime. "É um saco dia a dia passar por isso e fingir que está tudo bem, que está tudo normal. Não está."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem