Renato Kramer

'Sozinho eu sou o demônio', declara Xico Sá

"Álcool, drogas, limpeza, esporte, compras, jogos e coisas cotidianas, como trabalho, sexo e comida, também podem virar compulsão", afirmou Marcelo Tas no "Papo de Segunda" (GNT) da última segunda-feira (4).

A compulsão foi um dos assuntos debatidos pelos apresentadores Xico Sá, Léo Jaime, João Vicente e Tas. "Algumas pessoas acham que todo o mundo tem inocentes vícios. Mas quando é que um hábito prazeroso começa a nos escravizar?", questionou Marcelo.

E jogou para os seus colegas: "Quem aqui já se livrou ou ajudou alguém a se livrar de uma compulsão?". "Eu até ajudo os outros, mas eu não consigo me livrar", confessou Xico Sá com humor. E argumentou: "O pacote hedonista, que começa com bebida, comida, noite, boemia, sexo, ver o sol nascendo, é o pacote do qual eu tenho uma dificuldade enorme de abrir mão", confessou.

E acrescentou: "Até casado eu me seguro um pouco, mas sozinho eu sou um demônio incontrolável", declarou Sá sem meias palavras.

A terapeuta Analice Gigliotti esclareceu que a comunidade científica não usa mais o termo compulsão, e sim adição. "O que é uma adição? Eu estou sendo compulsivo, isto é contínuo, eu perco o controle, e isso me traz consequências", explicou a psiquiatra.

No seu consultório, as compulsões que mais aparecem hoje em dia são por jogos e por aparelho celular em adolescentes. "É uma compulsão muito nova, tem muito pouco tempo que as redes sociais estão aí. Então as relações não estão muito profundas, elas são imediatas. E esse imediatismo predispõe as compulsões. Porque compulsões são satisfações imediatas também", afirmou Gigliotti.

"Ao contrário do Xico, que sozinho é o demônio, eu casado sou o demônio", disse João Vicente. "Eu começo a entrar numa espiral de prazer. Se estou muito apaixonado, eu quero transar muito, quero comer muito, beber muito e ver muito filme bom, comer muito chocolate... Aí chega um momento em que você perde o prazer, começa a se descontrolar. Então, começa a engordar, a não fazer exercício, a trabalhar mal. E o prazer começa a virar dor", concluiu.

"Você não tem nenhum tipo de compulsão?", perguntou o comediante para Léo Jaime. "Não", respondeu o cantor. "Mas já teve?", observou Tas. "Eu tive uma época envolvido com cocaína. Durante seis meses da minha juventude eu parei para viver uma experiência com aquele negócio. Tomei um horror tal que eu não consigo ver aquilo sem ficar com o estômago embrulhado ou ver alguém cheirando e ficar indiferente", confidenciou Jaime.

Marcelo Tas confessou que tem compulsão com o tempo. Mas não teve tempo de explicar. Precisou chamar o outro bloco.

Xico Sá é um dos apresentadores do
Xico Sá é um dos apresentadores do "Papo de Segunda" (GNT) - Daniel Marenco/Folhapress
Xico Sá é um dos apresentadores do "Papo de Segunda" (GNT)

Xico Sá é um dos apresentadores do "Papo de Segunda" (GNT)

Daniel Marenco/Folhapress

 

Renato Kramer

Natural de Porto Alegre, Renato Kramer formou-se em Estudos Sociais pela PUC/RS. Começou a fazer teatro ainda no sul. Em São Paulo, formou-se como ator na Escola de Arte Dramática (USP). Escreveu, dirigiu e atuou em diversos espetáculos teatrais. Já assinou a coluna "Antena", na "Contigo!", e fez críticas teatrais para o "Jornal da Tarde" e para a rádio Eldorado AM. Na Folha, colaborou com a "Ilustrada" antes de se tornar colunista do site "F5"

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias