Você viu?

Cafeteria cria doce com formato de coronavírus e já prepara outro inspirado na vacina

Loja em Praga criou doce para combater a crise causada pela pandemia

Doce criado por cafeteria de Praga imita formato do vírus da Covid-19 - David W Cerny - -6.out.19/ Reuters
Jiri Skacel
Praga

Um restaurante no centro histórico de Praga, capital da República Tcheca, inventou uma sobremesa no formato do novo coronavírus, uma tentativa de conter a queda nas vendas que já está sendo um sucesso entre os clientes.

O Black Madonna normalmente estaria fervilhando de turistas admirando seu interior cubista, mas sofreu com a queda nas viagens para a República Tcheca em meio à pandemia, e o país enfrenta uma das maiores taxas de infecções por coronavírus na Europa.

A criadora da sobremesa, Olga Budnik, disse que teve a ideia durante o confinamento total provocado pela doença. “Encontrei uma foto do vírus na internet e descobri em detalhes como fazer a sobremesa --como fazer os ‘espinhos’, como seria a cor e preparei tudo”, disse ela à Reuters.

A sobremesa é ligeiramente menor que uma bola de tênis, com crosta de chocolate e polvilhada com spray de manteiga de cacau. Os “espinhos” do vírus são feitos de chocolate branco e framboesas secas. No interior, existe um recheio de pistache com purê de framboesa e framboesas no centro.

A iguaria tem sido um grande sucesso, com vendas crescentes de mais de 100 por dia. “A crise do coronavírus significou uma queda enorme para nós, em muitos por cento, assim como para outras empresas gastronômicas”, disse o gerente de marketing do café, Vojtech Hermanek.

“Mas, ao mesmo tempo, foi uma chance de trazer à tona o bolo do coronavírus, que é um símbolo... mostrando que nem tudo está perdido.”

Budnik, ucraniana que mora em Praga há seis anos, já está de olho no próximo produto --um doce com temática de vacinação para a Covid-19, que deve ter gosto de frutas cítricas e licor. “Vai ter muito limão com um pouco de álcool”, disse ela.

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem