Você viu?

Barraco entre 'pessoas de berço' em restaurante de São Paulo rende memes

Médico teria se irritado ao não ser atendido porque chegou 10 minutos antes do fechamento

Barraco no restaurante Gero, em São Paulo
Barraco no restaurante Gero, em São Paulo - Reprodução
São Paulo

O final de semana foi de barracos nas altas rodas. No Rio de Janeiro, a briga de biquíni foi o destaque, mas São Paulo não ficou atrás e também deu uma bela contribuição para quem gosta de uma treta alheia na internet.

Na capital paulista, o médico Carlos Iglesias, membro da família que é dona do Grupo Rubaiyat (com restaurantes no Brasil, Espanha, Argentina e Chile), causou durante passagem na sexta-feira (25) pelo restaurante Gero, na região dos Jardins. Um vídeo da confusão foi enviado ao colunista Leo Dias, do jornal Metrópoles, e viralizou na internet, gerando diversos memes.

O F5 tentou contato tanto com o Grupo Rubaiyat quanto com o Gero (que pertence ao Grupo Fasano), mas ainda não obteve retorno.

De acordo com o relato de clientes que estavam no local, ele chegou ao local por volta das 21h50, perto do horário de fechamento estabelecido pela Prefeitura para esta fase da reabertura de bares e restaurantes após a quarentena. Ao ser informado de que não seria atendido, ele teria se revoltado e passado a ofender clientes e funcionários.

"Vai embora, nojento!", gritava uma cliente dentro do restaurante. "Depois ele bate em alguma mulher", preocupou-se outra.

Aos berros, o médico disse que tinha se portado como um cavalheiro, mas foi agredido por uma mulher que estava no local. "Esta senhora desrespeitou a mim e eu não admito isso", afirmou. "A senhora é uma mal educada. Você não é dona de espaço público."

A confusão não terminou nem quando Carlos deixou o restaurante. Na porta, ele disse ter sido chutado (não fica claro se por um segurança da casa ou por outro cliente).

"Vamos resolver isso na polícia", dizia. "Deixa a polícia vir que eu vou resolver isso com você."

Enquanto isso, outros clientes hostilizavam o médico. "Qual o seu CRM mesmo? A gente quer o número pra nunca mais lembrar que ele existe", disse uma frequentadora. Nesse momento, ouve-se um coro: "CRM! CRM! CRM!".

Outro cliente tentou apaziguar os ânimos: "Deixa eu te falar, você bebeu um pouco a mais, vai descansar". "Eu não vou descansar, eu vou registrar um BO contra vocês, que vocês merecem", respondeu Carlos.

"Eu sou cliente da casa, eu quero te ajudar, calma!", pediu o homem, que se identificou como "irmão do delegado federal Marcelo Ivo". A essa altura, o médico já havia ligado para alguém chamado João Batista. "Ele é meu delegado", afirmou. "Que Marcelo Ivo?", continuou. "E daí, você é melhor? Você não"

Outro rapaz tentou intervir, mas Carlos não gostou. "Tira a mão de mim, não encosta em mim que eu não estou encostando em você", reclamou.

"Você vai se arrepender", comentou o irmão de Marcelo Ivo. "Você vai me dar uma porrada?", questionou o médico. "A gente é educado, a gente tem berço", retrucou o rapaz. "Você está falando com alguém que tem berço."

"E eu não tenho?", quis saber. "Não, não tem", gritou uma cliente de longe.

No sábado (26), Carlos fez um novo vídeo falando sobre a confusão. "Eu vou passar um recado pra vocês, seus playboys que estavam lá no Gero ontem embriagados e que não têm educação", disse. "Eu, graças a Deus, conheço a família Fasano há muitos anos e, por onde ando, ando com orgulho e saúde. Por onde piso, piso com educação."

"Porque aqui teve educação, teve educação americana, teve educação europeia, e somos pessoas que viemos do trabalho, não dessas baixarias desses moleques filhinhos que ficam falando que o pai deles é médico", afirmou. "Médico tem aqui, com CRM vigente. Vocês vão ver."

"Você, pessoalzinho do Gero, seus playboyzinhos que não valem nada, tomem vergonha na cara que a plaquinha do teu Mercedes já está gravada e você que se cuide e venha pedir desculpas se você é um homem decente e é filho de um médico."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem