Você viu?

Etíopes comemoram após museu britânico devolver cabelo de imperador cortado durante invasão

Cachos serão enterrados no túmulo do imperador Tewodros 2º

Mulher etíope caminha diante de imagem do imperador Tewodros 2º, em Addis Ababa
Mulher etíope caminha diante de imagem do imperador Tewodros 2º, em Addis Ababa - Andrew Heavens - 1º.jun.07/ Reuters

Londres

Um museu de Londres devolveu cachos de cabelo cortados do cadáver de um imperador etíope durante uma invasão britânica há 150 anos depois de uma campanha de ativistas que buscam a devolução de centenas de peças da pilhagem colonial.

Os etíopes, muitos vestidos com as cores nacionais —​vermelho, dourado e verde—, comemoraram quando funcionários do Museu Nacional do Exército entregaram os restos mortais em uma caixa de couro preto à ministra da Cultura, Turismo e Esportes da Etiópia na quarta-feira (20).

Hirut Kassaw levará os cachos de volta ao seu país no final de semana, onde eles serão enterrados no túmulo do imperador Tewodros 2º em um monastério do norte etíope, disse um funcionário da embaixada.

Ela agradeceu ao museu por sua decisão “corajosa” de entregar os cachos, mas pediu que esta e outras instituições britânicas devolvam outros itens tomados durante a expedição da era vitoriana.

“Para os etíopes, estes não são simples artefatos ou tesouros, mas constituem uma parte fundamental do tecido existencial da Etiópia e de seu povo”, afirmou.

Não houve resposta imediata ao seu pedido nem um comunicado do museu sobre a devolução.

Sucessivos imperadores, governos e mais tarde ativistas apelaram para que o Reino Unido devolva coroas, símbolos religiosos e manuscritos com iluminuras levados depois da luta —campanhas semelhantes às exigências gregas por esculturas do Parthenon e nigerianas pelos Bronzes de Benin.

O imperador integrava uma linhagem que remonta às figuras bíblicas do rei Salomão e da rainha de Sabá.

Reuters
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem