Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Viva Bem

Feng Shui usa ciência e espiritualidade para criar harmonia em casa ou no trabalho

Com isolamento, pessoas tendem a cuidar melhor dos ambientes

Fabiana Andrade Pereira, bibliotecária e professora, adora Feng Shui e procura aplicar em sua casa Karime Xavier/ Folhapress

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Em quarentena, todos estão mais fechados em suas próprias casas ou locais de trabalho. Por isso, ter ambientes mais harmônicos virou urgência para o bem-estar.

A técnica milenar do Feng Shui é uma das ferramentas utilizadas para transformar esses ambientes. E não se trata de algo exclusivamente espiritualista. Profissionais afirmam que a sensação de paz trazida ao local em que é aplicado o Feng Shui também está pautada na ciência e na neuroarquitetura.

“O Feng Shui surgiu nos arrozais da China em técnicas de plantação, e depois foi usado para construir templos dos imperadores. É um conhecimento de 4.000 anos atrás. A neuroarquitetura é, com certeza, uma grande alavanca na modernização dessa técnica”, afirma Mariângela Pagano, profissional da área e autora do livro “Feng Shui, 50 Práticas para o Equilíbrio Energético” (Matrix Editora, R$ 38).

“Sempre vou atrás do porquê de cada regra, porque está longe de ser místico, é comportamento humano”, define a profissional. E todos os especialistas são unânimes ao defender essa visão do estudo.

A prova dos 9 do Feng Shui

Por Mariângela Pagano

  1. Livre-se do que não usa mais ou que esteja quebrado ou trincado; energia estagnada compromete nosso chi (energia) pessoal

  2. Limpe lustres e substitua lâmpadas queimadas; a energia elétrica reflete a energia de seus moradores

  3. Elimine obstáculos que impeçam abertura de portas em 90 graus, assim como a abertura de gavetas e janelas; fluidez na vida

  4. Verifique a parte hidráulica, vazamentos, infiltrações; pinga-pinga de torneiras remetem a perdas financeiras

  5. Cuide do bom funcionamento de seu fogão e mantenha o lixo longe dele; lembre-se de que o fogão representa a sua prosperidade

  6. Mantenha portas de banheiro e tampos de vasos sanitários fechados; essa é uma área de escoamento de energia

  7. Observe a validade de alimentos, remédios e maquiagens, evite relógios parados; a vida é agora

  8. Capriche na entrada social de sua casa, seja bem recebido por você mesmo, procure entrar e sair com bons pensamentos

  9. Tire os sapatos ao entrar em seu lar, mantenha a organização e use máscaras

Diversas escolas e técnicas definem caminhos diferentes a cada profissional do Feng Shui. No entanto, é comum ter como base o uso dos elementos da natureza: a terra, o fogo, a água e o ar, e ter como guia o baguá, mapa que define no ambiente os principais segmentos da vida.

Patricia Saito, 43, e Rodrigo Lima, 42, sócios do Circus Hair contrataram o arquiteto Sergio Carillo para fazer um estudo na casa deles e também no salão de cabeleireiro. "Nesse caso, eu pude trabalhar melhor a prosperidade no local de trabalho, e a família e os relacionamentos na casa deles", explica o profissional especialista em Feng Shui.

As cores, por exemplo, foram muito utilizadas na técnica de Carillo. "Colocamos uma penteadeira dourada linda bem na entrada. Mas ele disse que essa cor era para ficar no fundo", conta Saito. Mesmo decepcionada em deixar a peça no fundo da loja, ela obedeceu. "Eles são cliente bem abertos a mudanças", conta Carillo, que alinha o uso das cores com os elementos da natureza.

As arquitetas Rahysa Hedjazi e Thais Costa, fundadoras da Baguá Quântico, acreditam também na força dos arquétipos, herdados da psicologia. “Cada um tem os seus. Posso colocar uma imagem de Nossa Senhora no ambiente de trabalho porque eu me sinto protegida, isso vai me trazer uma tranquilidade, por exemplo”, afirma Thais Costa.

As sócias contam que recebem clientes das mais diversas religiões, justamente porque o trabalho é personalizado. “O que fazemos, de fato, é uma terapia de ambientes, que abarca diversas técnicas, entre elas, o Feng Shui”, esclarece Rahysa Hedjazi. "Ao contratar um profissional, nunca pense que será tudo igual. Cada um escolhe algumas vertentes", completa Hedjazi.

Há, ainda, as escolas de Feng Shui que adotam teorias mais científicas. “Nelas, a preocupação é mais técnica. As escolhas estão alinhadas com os campos magnéticos da Terra, com o fluxo de energia planetária, que já é comprovado pela ciência”, explica Hedjazi.

Algumas dicas

  • Ao receber ou ler uma dica de Feng Shui, entenda o porquê dela e como ela pode se aplicar melhor à sua casa ou ao ambiente que queira harmonizar

  • Não deixe objetos quebrados ou sem uso. Se há um faqueiro lindo no armário, use no dia a dia, porque passa ao universo o recado de você merece o melhor (e não só as visitas)

  • Evite posicionar a cama embaixo de janelas ou próximas a vigas em que passam cabos ou esgoto. O chakra coronário (no topo da cabeça) fica vulnerável nessas posições

  • Ao usar espelhos, veja o que ele está refletindo. No quarto, por exemplo, é importante que ele não reflita a cama. Acredita-se que, durante o sono, há um desdobramento do corpo espiritual e o reflexo pode atrapalhar esse processo

  • Evite trabalhar olhando para a parede. O cérebro se estressa quando não tem perspectiva de horizonte. Entre as curas está a dica de colocar um espelho (caso ele reflita uma imagem bonita), colocar quadros ou flores para melhorar a visão

Para entender o Feng Shui, Thais diz acreditar que é preciso enxergar a sua própria casa como um organismo. “É como se fossem os chakras desse ambiente que precisam funcionar de forma harmônica com a natureza, já que somos parte dela".

E para fazer essa energia fluir, é recomendado ter uma casa com vida. “Feng Shui não é deixar tudo completamente estático”, defende Mariangela. Saem coisas, entram novas, plantas são renovadas de tempos em tempos, novos objetos adquiridos também começam a fazer parte de um local, aos poucos.

O próprio senso de autocuidado dos donos também é representado na casa. "Sabe aquele jogo de talher maravilhoso usado para jantar uma vez ou outra? Por que usá-lo só com as visitas? É preciso se sentir presenteado por essas coisas. Usar a casa como se você fosse visitante", defende Thais Costa.

"Usar aquelas peças velhas e deixar o novo guardado é sinal de que você não merece o melhor. Você tem que chegar na sua casa e sentir que ela é uma extensão sua", defende a especialista.

Profissionais usam o baguá para definir as áreas da vida dentro de uma casa; esse não é o único instrumento usado pelos especialistas
Profissionais usam o baguá para definir as áreas da vida dentro de uma casa; esse não é o único instrumento usado pelos especialistas - Folhapress

FENG SHUI À BRASILEIRA

A adequação ocidental vai um pouco mais longe para o brasileiro, que precisa dar um passo atrás para entender o significado de um ambiente harmônico. “Para o povo oriental, ter uma casa completamente organizada, limpa, sem lixo e sem objetos sem uso é tão óbvio que não faz parte das regras do Feng Shui”, afirma Hedjazi .

Movimentar a casa dando objetos para receber outros, manter as janelas abertas para circulação de ar e não manter o lixo muito tempo sem tirar devem ser os primeiros passos para quem quer repensar um ambiente. “A energia da decomposição orgânica é superagressiva”, lembra Hedjazi. “E não adianta encher a casa de símbolos se ela está cheia de objetos sem uso”, completa.

QUEM COLOCOU A MÃO NA MASSA

Contratar um profissional é sempre o ideal, mas curiosos e amantes do tema estão sempre atentos à casa. Fabiana Andrade Pereira, 40, bibliotecária e professora, lê sobre o assunto desde quando só existiam revistas em bancas de jornal. “O que sempre quis fazer é deixar todos os cômodos com uso. Eles precisam ter energia correndo. Depois que me mudei recentemente, consegui colocar isso em prática”, conta ela.

O quartinho que era o “da bagunça”, comum em muitas casas, virou o escritório de Fabiana durante a pandemia. “É um privilégio ter um cômodo para isso, mas é sempre possível adaptar”, conta a bibliotecária.

Quem trabalha no quarto ou na sala, por exemplo, pode tentar desmontar aquele ambiente. “Às vezes, basta não ter aquele monitor de computador à mostra o tempo todo para mudar o clima do ambiente. Pode ser trabalhoso, mas vale a pena investir em um móvel que monta e desmonta também”, opina. Monica Ueshi, arquiteta e especialista em Feng Shui.

Ela conta que essa blindagem contra o trabalho em casa foi o que mais cresceu na pandemia. “Em alguns casos, aplico a minha especialidade de personal organizer para conseguir antes de tudo colocar a casa em ordem, dar soluções”, explica Ueshi.

Fabiana também adota outras dicas comum em casa. Ela não deixa a porta do banheiro aberta e usa uma esfera de cristal multifacetado na porta. “Ele fica de frente para o quarto, e pode sugar energia”, conta a professora.

Segundo as profissionais, técnicas como essa são chamadas de curas. O certo, em uma construção, seria não ter a porta do banheiro virada para outro ambiente, mas como não é possível mexer na construção, usa-se um cristal ou outros elementos.

E cristais não são peças tão místicas assim, segundo Mariangela. “Eles têm uma carga energética muito grande. Podem modificar o ambiente mesmo, e há aparelhos que conseguem medir essa energia”, afirma ela. "Os benefícios dos cristais são tão vastos, que seria uma nova reportagem sobre eles", brinca a especialista.

Uma das clientes de Mariangela, Monica Simon Messa, 38, avaliadora de fragrâncias, adotou os cristais por toda a casa. "Acredito que uma casa bem iluminada, bem organizada nos faz naturalmente bem. Amigos que vêm em casa sempre comentam que o lugar tem uma energia boa", afirma Messa. Depois da consultoria, ela incluiu cristais e objetos de significado em cada área da casa. "Não deixo mais a casa sem flores, sem plantas, não tem nada quebrado", afirma ela.

Para ela, o Feng Shui sempre provoca a mudar as coisas, a substituir e tentar o novo. Na pandemia, ela fez uma revisão, já que precisou adequar o trabalho em casa. "Eu trabalhava olhando para a parede. Ela me ensinou a colocar uma flor bem bonita no local, por exemplo, e já me senti melhor".

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem