BBB21

BBB 21: Nego Di culpa Karol Conká por rejeição recorde: 'Me senti muito usado'

Humorista diz que ficou devastado e que sua família sofreu ameaças

Nego Di - Fábio Rocha/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Em conversa com Ana Maria Braga, no Mais Você, na manhã desta quarta (17), Nego Di culpou Karol Conká pela rejeição recorde que teve no Paredão do BBB 21. Ele foi eliminado na noite de terça (16) com 98,76% dos votos.

O humorista disse que não conseguiu dormir nem comer durante a madrugada, e que ficou analisando os vídeos do jogo, especialmente, os que mostravam Karol Conká. "O sentimento para mim é que eu cai no grupo errado [...] Ela [Karol Conká] jogou comigo, me senti usado para caramba. Depois, eu nunca fui de acordo da forma como ela tratava as pessoas", disse.

Nego Di afirmou também que chegou a avisar Karol Conká que Lumena era muito radical, mas que não tinha noção do "quão graves eram algumas atitudes delas" por não ter uma visão ampla do jogo e por afirmar que na frente dele elas não agiam desta forma.

Ele disse ainda que ficou devastado quando chegou no hotel e entendeu a forma como estava sendo visto fora da casa. "Tu vê pessoas que considerava amigos te virando as costas, famosos fazendo campanha contra você. Sofri muitas ameaças, inclusive de morte. Meu filho não está indo para escola por causa disso. Não acredito que tenha feito algo para ser ameaçado de morte, para a minha família ser ameaçada. Fui eu mesmo de acordo com o que eu podia ver lá dentro."

Ele também afirmou que não é uma pessoa ruim. "É doloroso escutar umas coisas, ler outras coisas que não têm a ver com o meu caráter. Eu não sou esse mau-caráter."

Questionado por Ana Maria se ele não exagerou no confronto com Lucas Penteado, Nego Di voltou a defender que não tinha uma visão ampla do jogo para entender o que estava acontecendo. Ele disse ainda que Projota e Karol Conká, embora também fossem articuladores dentro da casa, as pessoas lá dentro não percebiam, porque eles são mais sociáveis e conversavam com todos.

"Eu achava que era um bom jogador, e estava sendo idiota", afirmou. "Para ser honesto, tudo que eu vi de ontem para hoje, não teve nada que tenha me deixado feliz. Principalmente, porque foram pessoas que em vários momentos eu tive momentos legais."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem