Televisão

Cerimônia do Oscar voltará a ter apresentador em 2022

Mudança ocorre após a maior premiação do cinema perder audiência

 Estátua do Oscar é exibida no tapete vermelho na véspera da 92ª cerimônia do Oscar
Estátua do Oscar é exibida no tapete vermelho na véspera da 92ª cerimônia do Oscar - Mark Ralston/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo
AFP

A cerimônia do Oscar terá um apresentador este ano pela primeira vez desde 2018, anunciou a ABC nesta terça-feira (11), após a maior premiação do cinema perder audiência nos últimos anos.

Marcada para 27 de março, a 94ª edição dos prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas retornará ao tradicional Dolby Theatre em Hollywood, na Califórnia.

A cerimônia nada tradicional realizada em abril do ano passado, que incluiu parte da premiação sem anfitriões em uma popular estação de trem de Los Angeles devido à pandemia de coronavírus, foi vista por 10 milhões de pessoas, 56% a menos que em 2020, ano em que o evento teve a menor audiência de sua história.

"Você ouviu aqui primeiro, posso confirmar que o Oscar deste ano terá um apresentador", disse Craig Erwich, presidente do grupo ABC Entertainment e Hulu Originals, em um painel de discussão organizado pela Associação de Críticos de Televisão.

Erwich não revelou mais detalhes, nem especificou se haverá a volta de Jimmy Kimmel –apresentador do talk show "Jimmy Kimmel Live!"– ou dos anfitriões das edições de 2017 e 2018. "Pode ser", comentou.

Em 2019, o humorista Kevin Hart desistiu de conduzir a cerimônia depois que ressurgiram publicações suas no Twitter com comentários homofóbicos, que ele havia feito anos antes.

Ele não foi substituído e, embora o formato sem uma figura central tenha sido elogiado e até imitado por outros prêmios, como o Emmy, as edições posteriores do Oscar foram criticadas por falta de foco e humor.

Nesta terça, a Academia anunciou que o veterano Glenn Weiss dirigirá o evento pelo sétimo ano consecutivo e Will Packer será o produtor. Poucos detalhes, porém, foram divulgados sobre a cerimônia, adiada pelo segundo ano seguido.

A mudança de data –que, segundo especulações, visaria evitar competir com a final do futebol americano nos Estados Unidos e as Olimpíadas de Inverno –foi anunciada meses antes de a variante ômicron da Covid-19 se espalhar e forçar o cancelamento de vários eventos presenciais em Holywood.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem