Televisão

Com Ana Paula Arósio e Fábio Assunção, 'Os Maias' marcou pelo primor cenográfico

Minissérie de 2001 entra no catálogo do Globoplay nesta segunda

Ana Paula Arósio e Fábio Assunção em "Os Maias" - Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

De cabelo loiro acobreado e lente de contato castanha. Foi assim que Ana Paula Arósio surgiu ao interpretar a mocinha Maria Eduarda da minissérie "Os Maias" (Globo, 2001), baseada no clássico homônimo do escritor Eça de Queiroz, que retrata a decadência da aristocracia portuguesa na segunda metade do século 19.

Fábio Assunção também teve de usar lentes para escurecer os olhos azuis ao dar vida ao protagonista da trama: Carlos Eduardo. O público poderá rever o trabalho de ambos –e matar a saudade da atriz, cujo último trabalho de atuação na TV foi em 2010 na série "Na Forma da Lei" (ela reapareceu em 2020, mas em uma propaganda)– a partir desta segunda (15), quando a produção entra no catálogo do Globoplay.

A novelista portuguesa Maria Adelaide Amaral foi a responsável pela adaptação do romance para a telinha. Produzida em uma parceria da Globo com a emissora portuguesa SIC, a série estreou simultaneamente nos dois países.

Toda a história, aliás, se passa em Portugal. Foram seis semanas de gravações em diversas regiões do país. "Os Maias" marcou o retorno do diretor Luiz Fernando Carvalho à televisão após três anos afastado para se dedicar ao filme "Lavoura Arcaica" (2001).

Com alto orçamento (R$ 200 mil por capítulo) e raro primor cenográfico e de iluminação, a série, porém, não conquistou o público. Segundo o site Teledramaturgia, do jornalista Nilson Xavier, a produção marcou média de 15 pontos no Ibope da Grande São Paulo, muito aquém dos 35 esperados pela direção da Globo.

Narrada pelo ator Raul Cortez (1932-2006), como se fosse o próprio Eça de Queiroz, a minissérie se divide em duas fases. A primeira é protagonizada por Leonardo Vieira (Pedro Maia) e Simone Spoladore (Maria Monforte). Em sua estreia na TV, a atriz foi um dos grandes destaques da obra.

Herdeiro de uma nobre família portuguesa, Pedro se apaixona por Maria, mas o pai dele, Afonso da Maia (Walmor Chagas), é contra o romance. Mesmo fazendo de tudo para impedir o relacionamento, o casal fica junto e tem dois filhos: Carlos Eduardo e Maria Eduarda.

A família vive feliz até a chegada do príncipe italiano Tancredo (Fabio Fulco). Ele e Maria Monforte se apaixonam. Ela decide fugir com o novo amor e leva apenas a filha. Inconformado com o abandono, Pedro volta a morar com o pai e acaba cometendo suicídio. Desta forma, Carlos Eduardo é criado pelo avô.

A segunda fase mostra Carlos Eduardo e Maria Eduarda adultos. Após estudar medicina em Coimbra, ele volta a morar em Lisboa. Já ela teve uma vida difícil e vai à capital portuguesa acompanhada do marido, o comerciante brasileiro Castro Gomes (Paulo Betti), e da filha, Rosa (Isabelle Drummond). Sem saber que são irmãos, os dois se conhecem –e, atenção ao spoiler: se apaixonam.

Para Paulo Betti, um dos desafios para fazer a minissérie foi mergulhar no universo de Eça de Queiroz. Meses antes do início das gravações, os atores e a equipe de produção participaram de palestras feitas por especialistas no autor português.

Na avaliação de Betti, o retorno da produção ao Globoplay é uma forma de despertar a curiosidade das pessoas para conhecerem mais sobre o escritor. "Eu não conhecia muito o trabalho de Eça de Queiroz e me interessei. Para quem está interessando na obra dele, eu recomendaria muito uma história curta chamada 'O Mandarim'", indica

OUTRAS HISTÓRIAS

"Os Maias" conta com outros destaques, como Selton Mello no papel de João da Ega, e Matheus Nachtergaele interpretando Teodorico Raposo, ambos amigos de Carlos Eduardo.

O papel de Nachtergale, assim como Titi (Myrian Muniz), são de outro romance de Eça de Queiroz, "A Relíquia". Além deles, Maria Adelaide Amaral também incluiu personagens de outra obra do autor: "A Capital". A inclusão, no entanto, foi alvo de críticas à autora.

"Estas tramas são as válvulas de humor da minissérie. Para teledramaturgia, é muito importante que haja um núcleo de humor para o público respirar", afirmou ela ao site Memória Globo.

A versão em DVD de "Os Maias" foi lançada em 2004, de forma editada. O diretor Luiz Fernando Carvalho cortou as partes que se referiam aos romances "A Relíquia" e "A Capital". A minissérie na íntegra foi reprisada no Viva em 2012.

'Os Maias'

  • Quando A partir desta segunda (15)
  • Onde Globoplay
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem