Televisão

Mariana Godoy diz não temer concorrência nas manhãs: 'Quem tem medo não vive'

Atração da Band não tem data de estreia e vai competir com Encontro e Hoje em Dia

Mariana Godoy no cenário de sua nova atração na Band Kelly Fuzaro/Band

São Paulo

Sob a tutela do idealizador Zeca Camargo, 57, e a apresentação de Mariana Godoy, 51, a Band ainda não definiu quando será a estreia do programa que vai substituir o Aqui na Band, das 9h às 11h. O matutino terá como principal meta dar voz aos telespectadores. A atração, cujo nome será escolhido pelo público nas redes sociais e revelado ao vivo no primeiro dia, vai mesclar diversos quadros, como vida saudável, culinária, debates, mundo pet e prestação de serviços.

"Queremos fazer o programa com a cara das pessoas de casa. Vai ter quadro de culinária com Dalton Rangel, inclusive, com participação do público. Se a pessoa fizer um prato gostoso, por exemplo, pode mandar para gente por vídeo", diz Camargo, em entrevista ao F5, que na atração deverá ficar mais por trás das câmeras.

"Mas vou puxá-lo ocasionalmente para entrar no ar se o público assim pedir", diverte-se Mariana Godoy, que deixou a RedeTV! para se arriscar em um programa mais ligado ao entretenimento. Ela afirma que esse adiamento da estreia tem servido para preparar melhor o conteúdo que será exibido.

A atração quer dar chance a talentos com o quadro "Me dá uma chance". Nele, cantores, dançarinos, bailarinos podem enviar vídeos para mostrar seus dotes. Ainda haverá quadro de viagem onde pessoas mostram em vídeo partes de sua cidade. "Quando acabar a pandemia nós queremos viajar o Brasil inteiro para conhecer cada espaço do país", reforça Camargo.

"Durante o programa teremos jornalismo. Não queremos que a pessoa imagine que ver o nosso programa a deixará fora das novidades factuais. Continuo sendo jornalista", completa Godoy. Logo nos primeiros programas, dizem Camargo e Godoy, haverá debate com a opinião dos entregadores de aplicativos expondo seus pontos de vista sobre o trabalho na pandemia. Também haverá música, uma reportagem especial sobre o Amazonas e gastronomia.

"Queremos fazer um programa com você e para você. A interação é um dos fortes. As pessoas podem sugerir quadros e temas e estaremos sempre abertos a encaixar", define Mariana Godoy, que volta a comandar uma atração de entretenimento após anos dedicados ao jornalismo de bancada.

Aliás, diz ela, este é o projeto mais diferente de sua vida. "Eu me sinto no meu melhor momento, sim, pois tenho a parceria com a Band que vai me proporcionar duas horas na manhã para fazer algo novo e interativo. Também estarei na Rádio Bandeirantes e farei mais coisas em diversas plataformas. Me sinto muito feliz."

Nem mesmo a concorrência com Encontro com Fátima Bernardes (Globo) e o Hoje em Dia (Record) a assusta. "Zeca Camargo está trazendo ideias novas e frescas. Nada me assusta, não me preocupo com os outros. Uma pessoa com medo não vive. Minha preocupação é fazer o meu com qualidade de forma agradável e que seja comercialmente viável", diz a apresentadora, ao mencionar que terá total liberdade até mesmo para falar sobre temas políticos, caso apareçam.

MANHÃS DA BAND

A chegada da nova atração pode dar uma esperança à Band já que a faixa horária da manhã da emissora é recheada de polêmicas e até de discussões no ar. Após pouco mais de um ano no ar, o Aqui na Band não conseguiu decolar na audiência –muitas vezes não chegava a marcar 1 ponto na Grande São Paulo (cada ponto do Kantar Ibope equivale 74.987 domicílios).

No período, porém, protagonizou muitas polêmicas e irritou a direção da emissora ao exibir reportagens a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em junho, por exemplo, foi ao ar um debate sobre conservadorismo que contou com a presença do blogueiro Allan dos Santos, do canal Terça Livre, que é alvo de inquérito sobre fake news no STF (Supremo Tribunal Federal). Na sequência, a Band anunciou a saída de Luís Ernesto Lacombe.

Antes, no dia 11 de maio, uma outra pauta levada ao programa já tinha gerado atritos internos na emissora. Na data, o programa discutiu com advogados e apoiadores do presidente a pergunta: quem mandou matar Jair Bolsonaro? Investigação da PF (Polícia Federal) sobre a facada sofrida por ele em setembro de 2018 chegou à conclusão de que Adélio Bispo fez tudo sozinho.

Além disso, outra polêmica do programa foi a demissão da apresentadora Silvia Poppovic, 65, no fim de abril. "Não esperava de jeito nenhum. Fazia o programa de casa por causa da quarentena. A Band colocou os acima de 60 anos em casa e eu resolvi fazer o programa daqui por Skype e estava indo bem. Tinha vários merchans no ar e achei que continuaríamos até o final dessa fase", afirmou ela ao F5, na ocasião.

Poppovic e Lacombe também tiveram alguns desentendimentos ao vivo por divergências políticas. Em setembro de 2019 eles chegaram a discutir duas vezes na mesma semana. E, ao comentarem sobre a repercussão da briga, ambos entraram em atrito de novo.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem