Televisão

Edu Guedes diz ser ainda tímido na TV e que seu programa ajuda idosos com depressão

Com 25 anos na gastronomia, apresentador pensa em nova atração para TV

O cozinheiro e apresentador da RedeTV! Edu Guedes

O cozinheiro e apresentador da RedeTV! Edu Guedes Divulgação/RedeTV!

São Paulo

Chamado de louco por abandonar a carreira de administrador de empresas e o trabalho em um banco para começar do zero na gastronomia, o cozinheiro e apresentador de TV Edu Guedes, 45, hoje pode celebrar a marca de 25 anos de cozinha.

Foi em meados da década de 1990 que ele decidiu investir em sorvete e, posteriormente, levar seu conhecimento culinário à televisão. Agora, 25 anos depois, Guedes se diz certo de que aquela foi a sua melhor escolha até hoje. "O que eu mais tiro de tudo isso é realmente o aprendizado. Estar na televisão e poder fazer isso todos os dias é uma possibilidade de ajudar milhares de pessoas", diz o chef ao F5.

Guedes afirma que teve alguns obstáculos no começo da carreira e que chegou a sofrer preconceito. "Para cada 10 pessoas que eu falava que iria sair do banco, 11 diziam: ‘Não faz isso, que besteira, vai jogar sua carreira fora’. E poder mudar o pensamento dessas pessoas é muito importante", afirma o apresentador, que na época havia se formado em administração e estudava economia.

A estreia na TV se deu há pouco mais de 20 anos, em 1998, ainda como colunista do programa Mulheres, da Gazeta. De lá para cá, ele teve cada vez mais oportunidades e mostrou que poderia ser mais do que apenas um cozinheiro. Também transitou por emissoras como Gazeta, Record e RedeTV!.

Atualmente, ele apresenta o Edu Guedes e Você, todas as manhãs, das 10h45 às 12h, na RedeTV!. O programa segue os moldes da TV antiga com uma receita preparada do início ao fim, ao vivo. Para Edu, esse formato é o melhor que ele poderia fazer e não tem vontade de alterá-lo.

"Já tive possibilidades de mudar o formato, mas não o faria. Quando alguém fala: ‘Poxa, Edu, você vai na contramão da TV’, eu digo que não é contramão, essa é a mão que eu acredito na culinária. Culinária para mim é carinho, amor, afeto. Não é uma competição para ver quem faz melhor. São mais de 7.000 receitas feitas na televisão até hoje”, afirma o apresentador, que estudou gastronomia em Bologna, na Itália.

Edu Guedes diz acreditar que ele é a companhia para muita gente nas manhãs e que, por consequência, tem ajudado até mesmo pessoas a lidarem melhor com doenças. "Senhores e senhoras vencendo uma depressão, saem de casa, vão à feira, ao supermercado, e aquele é um momento [do programa] em que elas estão aprendendo alguma coisa para fazer algo realmente para elas. Tenho muito respeito por isso."

A concorrência pelas manhãs é acirrada. A atração de Edu Guedes compete pela atenção do público com programas como Encontro com Fátima Bernardes (Globo), desenhos no SBT, Jogo Aberto (Band) e Hoje em Dia (Record) –esse último no qual o apresentador esteve por dez anos, entre 2005 e 2015. Ele afirma que o retorno que ele tem com a atração na RedeTV! é representativo, mas não detalha números.

"O programa Edu Guedes e Você é rentável, temos um equilíbrio. Na minha opinião, nós temos que pensar no programa como um produto e, acima de tudo, como uma empresa, que tenha um custo razoável para ser feito, boa qualidade e o melhor conjunto disso", diz Guedes, sem revelar os dados de audiência.

Pai de Maria Eduarda, 11, fruto de seu relacionamento com a empresária Daniela Zurita, o apresentador Edu Guedes afirma que é abordado por idosos e, também, por pais que o agradecem por a atração ajudar os filhos a comerem determinados tipos de alimento que antes rejeitavam.

Por todos esses fatores, Edu Guedes reitera que está no caminho certo. "Algumas pesquisas mostraram que poucas pessoas fazem isso hoje na televisão, porque a TV é muito dinâmica e as pessoas querem coisas rápidas. Ter um foco específico naquilo que você acredita e fazer com carinho é o ideal. Durante anos recebi mensagens dizendo que as pessoas não conseguiam acompanhar as receitas mais rápidas."

E apesar de não querer mexer no programa, ele revela que há uma possibilidade de angariar um novo formato. "Já fiz um programa que chamava Receita Para Dois, na Record Internacional e Record News [2009-2013], que eu adorava fazer. E na cozinha muita gente conta muita coisa por ficar descontraído ou mesmo por ter certo grau de amizade comigo. Talvez uma atração como essa [com bate-papo na cozinha], semanal, pode ser um objetivo ainda para este ano", adianta o apresentador.

25 ANOS ATRÁS DO FOGÃO

Edu Guedes comemora duas décadas e meia como cozinheiro. E se orgulha por ter sabido trilhar sua trajetória para chegar até este momento. "Sempre falo que para o sucesso não há atalho. Fui percorrendo degrau por degrau ao longo de todos esses anos. E percebi que na televisão poderia fazer propaganda de algum negócio que eu tinha. Constatei que eram poucos os que apresentavam programas e sabiam cozinhar", analisa o apresentador, que já foi casado com Eliana entre 2004 e 2007.

Com tanta experiência na televisão, Guedes diz que ainda tem dificuldades em aparecer na tela. Ele afirma ser tímido, porém, "tento vencer minha timidez por um bem maior". "A experiência conta muito e nesses anos todos eu não só fiz muitas receitas, mas pude aprender. A maior diferença positiva é a cultura que o meu trabalho, apesar de ser simples, pode me dar."

"O que mais me trouxe mudança foi realmente estar nas ruas e ter tido a possibilidade de viajar para todos os estados do Brasil, por exemplo”, avalia o apresentador, que viajou para Europa, Estados Unidos, Japão e para muitos países da América do Sul e da África.

Com tanto tempo de carreira e tantas mudanças, Edu Guedes se considera realizado. "Conquistei muito mais do que eu poderia ter sonhado lá atrás. Eu me sinto realizado, sou feliz com tudo o que já fiz. Sempre ficamos pensando: O que eu vou fazer a mais? Do que mais preciso? Na verdade, muitos acabam não aproveitando aquilo que já conquistaram. Só sonho que minha filha se forme, trabalhe com aquilo que ela mais desejar", conclui.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem