Televisão

Após 12 anos, Xuxa retorna às tardes de domingo para comandar 2ª temporada de The Four Brasil

'Fico nervosa e rouca. Eu sofro com eles', diz apresentadora sobre reality

Xuxa no The Four Brasil 2020

Xuxa no The Four Brasil 2020 Blad Meneghel/Divulgação

São Paulo

Após mais de uma década, Xuxa retorna às tardes de domingo, agora, na Record. Sua última atração dominical foi Conexão Xuxa (Globo), que ficou no ar entre 2 de dezembro de 2007 e 11 de janeiro de 2008. O retorno será com a estreia da segunda temporada do programa musical The Four Brasil, exibido no ano passado durante a semana. Até então, as quartas-feiras à noite eram os dias da rainha na emissora.

Essa reformulação acontece em decorrência de uma reestruturação da grade da Record aos domingos. Uma das novidades é a exibição do Hoje em Dia pela manhã, seguido da estreia de Sabrina Sato no comando do Domingo Show. A atração de Xuxa vai suceder a de Rodrigo Faro, a partir das 18h.

Para ela, é uma honra fazer parte desse dia. "É uma responsabilidade grande. Domingo é família. Claro que há uma preocupação, sim [com audiência e concorrência], mas há muita paixão”, diz Xuxa, que terá os amigos Fausto Silva (Globo) e Eliana (SBT), como seus principais concorrentes na faixa horária.

"Sempre gostei do sábado e do domingo, para mim são os melhores dias de estar na televisão”, completa a apresentadora. Após o término de The Four Brasil, Xuxa já emenda com a sexta temporada do reality Dancing Brasil –também no mesmo horário. 

THE FOUR BRASIL

The Four Brasil começa com quatro finalistas que, a cada semana, são desafiados por novos cantores. A dinâmica do “entra e sai” sig­nifica que novos competidores po­dem surgir a cada episódio até que se eleja o melhor cantor do país.

Uma das novidades desta temporada é a possibilidade de um dos jurados resgatar um concorrente que não tenha sido selecionado por unanimidade. A outra inovação é a entrada do ex-Titãs Paulo Miklos no corpo de jurados no lugar do cantor sertanejo Leo Chaves. Completa o júri a cantora e atriz Aline Wirley e o produtor musical João Marcello Bôscoli.

"Esse programa é enlouquecedor para mim. Fico nervosa e rouca. Eu sofro com eles. Se eu já fico nervosa vendo, imagina para quem canta e enfrenta as batalhas”, diz a apresentadora Xuxa Meneghel.

Desenvolvido pela empresa criadora de conteúdo e distribuidora is­raelense, Armoza Formats, com produção da Endemol Shine Brasil, The Four Brasil tem uma dinâmica diferente dos demais realities musicais.  

Na dinâmica da atração, logo no primeiro episódio o público já conhece os quatro finalistas que ficarão sentados nas quatro cadeiras iluminadas. Enquanto esses concorrentes precisam manter seus lugares ao longo da disputa pelo prêmio de R$ 300 mil, todos os outros que subirem ao palco, caso agradem aos três jurados, terão a oportunidade de tirá-los do privilegiado lugar por meio de um desafio.  ​

A cada episódio, um novo finalista poderá surgir. Os postulantes às vagas de finalistas se apresentam para os jurados e, caso recebem os três círculos azuis, poderá desafiar um dos finalistas. A plateia do programa decide quem levará a melhor em cada duelo, e caso o participante desafiador cante melhor passa a se sentar na cadeira iluminada no lugar de quem desafiou.

Os jurados também terão a possibilidade de acionar o resgate. Esse artifício faz com que o candidato que não tenha recebido os três círculos possa duelar com um dos quatro finalistas. O bônus só poderá ser usado uma única vez pelos jurados, individualmente.

"Vou guardar como estratégia. Pode ser uma chave para virar um jogo na reta final”, diz Bôscoli. Estratégia semelhante será usada pelo estreante Paulo Miklos, carinhosamente apelidado por Xuxa de “malvado favorito”.

"O João é a enciclopédia. A Aline é o refresco no meio dos meninos e se coloca no lugar de cada um, já que venceu um reality parecido [Popstars, no SBT, em 2002]. E o Miklos que é reverenciado por todos. Eles são adorados, mas também são severos”, define Xuxa.

A apresentadora reforça que haverá muito “sangue no olho” nesta temporada. Bôscoli vê um crescimento na parte técnica da competição. “A maior parte das pessoas que participam trabalha com música e, com isso, fazem o nível subir. As batalhas todas serão decididas no detalhe e na emoção. Sem contar a banda que toca e é ótima."

Para Aline, não vai faltar choradeira. Ela não tem receio de aparecer em lágrimas com as apresentações. "The Four é muito vivo, dinâmico e tudo pode mudar rápido. Às vezes o cara acha que já está garantido na cadeira e é desbancado. Fico emocionada mesmo, choro, sei o quanto uma chance como essa é real”, diz ela, que venceu o concurso em 2002 e começou a integrar a banda Rouge.

No último episódio, os quatros finalistas se apresentam e o público de casa escolhe o vencedor. A primeira temporada de The Four Brasil foi vencida pelo segurança do metrô Ivan Lima. "Fora a batalha, nosso quarto jurado é a nossa plateia. Normalmente, as plateias ficam sentadas sem fazer nada e aqui no The Four, não. E isso é muito importante”, afirma Xuxa.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem