Televisão

Em 'Bom Sucesso', ator diz que Marcos ama Paloma, mas não tem pressa para romance

Rômulo Estrela diz que personagem abre discussão sobre relações

Rômulo Estrela na pele  de Marcos, de "Bom Sucesso"
Rômulo Estrela na pele de Marcos, de "Bom Sucesso" - Divulgação
Rio de Janeiro

Rômulo Estrela, 35, virou um conquistador na pele do bon vivant Marcos, em “Bom Sucesso” (Globo). Atrai as mulheres dentro da trama e o público fora dela. E apesar de amar Paloma (Grazi Massafera), ele não tem pressa de engatar um namoro nos moldes tradicionais com a costureira. 

“Ele acha que o lugar da felicidade é estar solteiro, viver um dia depois do outro, na noite com mulheres, sem compromisso. E, apesar disso, Marcos não é mau-caráter. É um cara que deixa bem claro que gosta da vida desse jeito. E eu acho bacana abrir essa discussão”, afirma o ator. 

Para o ator, a forma como seu personagem encara a vida e os relacionamentos pode gerar uma boa discussão sobre a liberdade numa relação a dois. Para ele é bom entender que “numa relação tem ‘os dois’ e tem o ‘eu’ e o ‘você’ separados” e o debate sobre esse tipo de liberdade é fundamento para o momento de transição em que estamos.

Estrela ainda aponta que não acredita que o relacionamento monogâmico e heterossexual seja a única maneira saudável de estar com alguém, e pontua: “Fazemos ajustes o tempo inteiro nas nossas relações”.

BELEZA E RODRIGO HILBERT

Apesar de ser desejado pelas mulheres dentro da trama e também fora dela, Estrela diz que não se considera um galã, mas que está satisfeito com a aparência. “Bonito é o Rodrigo Hilbert!”, brinca.

Quando o assunto é a boa forma, ele é desencanado. O intérprete de Marcos afirma que há muito tempo entende que seu corpo é uma ferramenta de trabalho e, por isso, deixa que seus personagens determinem o seu físico.

O corpo de Marcos parece ter agradado o público de “Bom Sucesso”. Logo no início da trama, uma cena em que o personagem ficou com o bumbum de fora após deixar a toalha cair causou frisson entre os telespectadores.

Estrela diz que está satisfeito com a sua estética atual e que sua esposa, a empresária Nilma Quariguasi, não tem ciúmes das cenas mais quentes da novela. “É meu trabalho, né? Ela entende que isso é inerente à minha profissão, mas sabe que precisa existir um limite para as coisas também.”

AGORA CONTEMPORÂNEO

Em “Bom Sucesso”, Rômulo Estrela enfrenta o desafio de interpretar um personagem contemporâneo, após ter feito quatro novelas de época seguidas: “Além do Tempo” (2015), “Liberdade, Liberdade” (2016), “Novo Mundo” (2017) e “Deus Salve o Rei” (2018). 

“Em ‘Deus Salve o Rei’ eu tinha um pouco mais de liberdade para construir meu personagem, porque a história se situava na Idade Média Alta, da qual não se tem tantos registros. Mas, no caso do Chalaça, de ‘Novo Mundo’, esse personagem existiu de verdade, então você fica mais preso no universo dele”, relembra.

“Fazer o Marcos tem uma coisa contemporânea e próxima de mim que torna esse trabalho um pouco mais árduo, mais difícil, inclusive na busca de um personagem que não pareça comigo”, afirma ele, que usou um pouco de si e da literatura para fazer do galanteador: “O próprio Peter Pan é uma referência pra mim. O Marcos não cresce.”
 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem