Televisão

'Buddy é exigente e ainda bondoso', diz Iara Cavalcanti, finalista do Batalha dos Confeiteiros

Ela disputa a final nesta quarta contra o arquiteto Luiz Toledo

Iara Cavalcanti, participantes da segunda edição do Batalha de Confeiteiros Brasil, da Record
Iara Cavalcanti, participantes da segunda edição do Batalha de Confeiteiros Brasil, da Record - Edu Moraes/Record TV

Descrição de chapéu Agora
Leonardo Volpato
São Paulo

Participante do Batalha dos Confeiteiros Brasil, a aracajuana Iara Cavalcanti, 30, revela que está pronta para o que der e vier na atração. Na final, que será exibida pela Record na noite desta quarta (11), ela disputa com o paulistano Luiz Toledo o título e uma vaga em uma das lojas Carlo’s Bakery no Brasil. Nenhum dos dois sabe quem é o campeão, pois foram gravados dois finais diferentes.

"Se eu levar o troféu, quero aproveitar essa chance para o meu enriquecimento profissional e viver esse momento da mesma forma intensa que vivi o Batalha dos Confeiteiros", disse Iara. 

A competidora relembra o momento de maior emoção dentro do reality. "Ouvir da Lisa Valastro [mulher do confeiteiro Buddy] que eu lidero como o próprio Buddy foi o que mais me comoveu. Essa declaração me fez vencer minha insegurança e reconhecer que sou mesmo boa."

Formada em design gráfico e confeiteira de mão cheia, a finalista conseguiu se destacar e correu poucos riscos de ser eliminada. Na atração da Record, ela se mostrou bem-sucedida ao fazer bolos com efeitos visuais e em modelagens.

“Pude aprender muito sobre como liderar de forma linear, sem precisar me sobrepor aos outros com austeridade. O Buddy é exigente, mas bondoso ao mesmo tempo”, conta. “Trabalhar sob pressão e entender que mesmo lidando com prazos curtíssimos é possível entregar um trabalho de excelência são detalhes que levarei comigo", finaliza a competidora.

 

"FOI UMA FACULDADE INTENSIVA DE VIDA"

Já o paulistano Luiz Toledo, 38, afirma que ter participado da atração ao lado do confeiteiro Buddy Valastro foi ótimo. Segundo ele, na prática foi possível aprender bem mais do que em qualquer aula ou curso.

"Foi uma experiência transformadora. Eu costumo dizer que foi como uma faculdade intensiva de vida. Aprendemos muito como profissionais da confeitaria, mas também como pessoas”, revela o arquiteto de formação, que tem como objetivo trabalhar fazendo bolos. "Após tantas provas, de ter sido julgado e avaliado e de ter passado por superações pessoais, hoje posso dizer que sou um profissional mais completo e uma pessoa muito mais forte do que quando entrei."

Na cozinha, Toledo se mostrou bastante competitivo e habilidoso em fazer bolos temáticos, decorativos e com pasta americana. Assim como a colega Iara, também finalista, ele não sabe quem venceu. Caso seja ele, Toledo conta que ficará radiante. “Trabalhar na Carlo’s Bakery [loja de Buddy no Brasil] é o sonho de quase todo confeiteiro”, afirma.

Caso não vença a disputa, o paulistano revela que permanecerá em busca de seu sonho. “Pretendo continuar aprimorando meu trabalho de mais de 20 anos e conquistar clientes. Também tenho planos de dar aulas para poder compartilhar a minha experiência com outros confeiteiros.”

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem