Televisão

No ar como Saulo, de 'Deus Salve o Rei', João Vithor Oliveira vive história de amor e ódio com Selena

'Palco significa o lugar onde podemos tudo, mas não podemos qualquer coisa'

Selena (Marina Moschen) e Saulo (João Vithor Oliveira) em cena de "Deus Salve o Rei"
Selena (Marina Moschen) e Saulo (João Vithor Oliveira) em cena de "Deus Salve o Rei" - TV Globo

Descrição de chapéu Agora
Karina Matias
São Paulo

João Vithor Oliveira, o guerreiro Sau­lo de “Deus Salve o Rei” (Globo), estreou aos cinco anos na TV, no elenco de apoio do programa infantil “Gente Ino­cente” (Globo, 2000-2002), apresentado por Márcio Garcia. Mas foi aos 14 anos, quando fez o adolescente Rafa, da novela “Chamas da Vida” (Record), que ele teve certeza de seu futuro artístico como ator.

"Ali, entrei em contato com pessoas que me transformaram, instruíram e incentivaram a buscar o estu­do do teatro. Sou muito apaixonado pelo que faço e quero viver disso.”

Em busca desse conhecimento, atualmente, além de ser um dos desta­ques da novela das sete, ele faz faculdade de teatro. “Para mim, o palco significa o lugar onde podemos tudo, mas não podemos qualquer coisa. É sagrado. Decidi fazer faculdade para me aprofundar e conhecer. Para estudar, aprender e, assim, redescobrir a vida por meio do outro, do amor e do afeto.”

Na TV, Oliveira enfrenta agora, aos 22 anos, o maior desafio da sua carreira. Isso porque, após uma batalha, Saulo ficou cego, em “Deus Salve o Rei”. “Este papel tem me ensinado muito. É difícil, mas muito prazeroso”, define.

Para esta nova fase do personagem, o ator conta que conviveu com funcioná­ rios e pessoas que frequentam o Insti­tuto Benjamin Constant, no Rio de Janeiro, centro de referência nacional na área de deficiência visual. “Foi uma oportunidade muito importante estar ali, já que pude entender melhor as dificuldades que as pessoas cegas enfrentam no dia a dia.”

Ele relata que tam­bém fez exercícios de luta usando vendas. “E entendi que, quando falta um sentido, é necessário aflorar os outros.” Ainda antes do início da novela, Oliveira passou por aulas específicas para
desenvolver habilidades comuns aos soldados da época, como montaria e arco e flecha.

“É uma oportunidade incrível fazer parte de uma novela que se passa no período medieval, época ainda
tão pouco tocada por nós, brasileiros, e pela TV. Saulo é um cara jovem, aberto para o mundo”, destaca.

Filho da diretora teatral Bia Oliveira e sobrinho-neto do diretor e cineasta Do­ mingos de Oliveira, o ator destaca a im­portância da influência da família na sua decisão de seguir na carreira artística. “A minha mãe não só me apoiou e motivou, como também sempre esteve disponível para gerar conteúdo e infor­
mação, de forma que eu pudesse fazer minhas escolhas conscientemente.”

Solteiro, ele conta que nas horas livres procura estar em contato com a natureza como forma de recarregar as energias. “Além disso, vou muito ao teatro, a shows e ao cinema. São atividades de que não abro mão, mesmo na correria da rotina”, relata.

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem