Televisão

Cláudia Souto, autora de 'Pega Pega', diz que novela bateu recordes apesar de streaming

João Baldasserini, Nanda Costa, Thiago martins e Marcelo Serrado em 'Pega Pega' - Divulgação Globo

BEATRIZ FIALHO
São Paulo

"Essa não é uma novela sobre impunidade nem sobre redenção, mas sobre escolhas éticas e as suas consequências". É assim que Claudia Souto, autora de "Pega Pega", resume a trama da novela, que terminou nesta segunda (8), com bons índices de recepção.

"Estou muito feliz. Pela resposta e carinho do público, pelo amor sem tamanho e entrega do elenco", comentou a autora ao "F5", sobre o encerramento da novela. "Compartilho com Luiz Henrique Rios e sua equipe de diretores e também com minha equipe de autores-colaboradores o sucesso". 

A trama registrou, ao final, a melhor média de audiência da faixa de horário desde 2012, ano em que foi exibido "Cheias de Charme" e o remake de "Guerra dos Sexos". Segundo a emissora, a novela acumulou média de 29 pontos no Ibope de SP (um ponto corresponde a 71.855 domicílios). O último capítulo, inclusive, marcou 36 pontos de audiência. Desde 2011, somente "Totalmente Demais" teve um índice maior. 


LEIA MAIS:
Marcos Caruso diz que 'Pega Pega' é um sucesso inegável e que crítica a novela foi minoria

Mariana Santos comemora sucesso em 'Pega Pega' e revela que marido aprovou novo visual


"Fiquei surpresa com a audiência apenas comparada à uma novela de 2012. Naquela época, não haviam tantas opções por streaming competindo pela atenção do público", disse Souto. Esta foi a primeira novela assinada pela autora, que trabalha há 25 anos na emissora, 10 como colaboradora de outras novelas. 

"A experiência faz toda a diferença. Mas ainda assim, assinar uma novela é colocar nela a sua personalidade. Uma honra e também um trabalho de maratonista, onde você começa e não sabe como vai terminar", comentou.

TRAMA DE SUCESSO

No final, todos os crimes foram solucionados. Malagueta (Marcelo Serrado), Sandra Helena (Nanda Costa, Agnaldo (João Baldasserini) e Júlio (Thiago Martins) cumprem penas diferentes pelo roubo no Carioca Palace; Lígia presa pela morte de Mirella; Sabine (Irene Ravache) na cadeira por ter sequestrado Dom (David Júnior) quando criança. As punições não terminam por aí.

"Contei a história dos quatro funcionários que resolvem mudar de vida passando a mão na grana do patrão, que por sua vez ia dar uma banana para o imposto de renda", comenta a autora, Claudia Souto. Os ladrões representam, para ela, "a vingança popular para essa suruba de malas de dinheiro da vida real".

A novela também foi comentada nas redes sociais. A hashtag #PegaPega entrou nos trending topics mundiais do Twitter 57 vezes e 102 vezes no Brasil. Dentre as muitas repercussões on-line também estava o casal Malagueta (Marcelo Serrado) e Maria Mia (Mariana Santos), "shippado" na internet como #MalaPia.

No último capítulo, Malagueta cumpre sua pena na prisão e, depois de solto, compra um hotel com o dinheiro do roubo (que foi dado como perdido). Serrado comentou o final de seu personagem. Para ele, "Na ficção, pelo menos, a gente tem que ver quem comete erros tem que ser punido". 

Mas todos merecem uma segunda chance. "Eu acredito sempre na redenção do ser humano", completou o ator, sobre o final feliz de Malagueta ao lado de Maria Pia. 

A assessora sofreu ao longo da novela por um amor não correspondido por Eric (Matheus  Solano), aceitou seu amor pelo ladrão já no fim da trama. "Ela finalmente caiu na real! Ela vivia um amor platônico, inventado e doentio pelo Eric", comentou Mariana Santos.

"Eu acredito que o meio que vivemos nos influencia muito. A Maria Pia, se tivesse uma família mais normal, uma mãe que fosse amiga dela, que a compreendesse e que a ajudasse em algumas coisas ela teria tido uma infância melhor e se amaria muito mais", acrescenta ela.

UOL e BBC BRASIL
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem