Música

Dono do hit 'Tudo Ok', Thiaguinho MT já tentou ser dançarino e começou carreira com funk proibidão

Com agenda cheia, cantor se apresentará na Europa após Carnaval

Thiaguinho MT Divulgação

São Paulo

​Todo ano, quando o Carnaval se aproxima, logo surgem as mesmas perguntas: Qual será a fantasia do momento? E o lugar mais badalado? E o hit desse Carnaval? As repostas mudam todos os anos e nunca chegam a uma unanimidade, mas às vezes trazem nomes pouco conhecidos ao topo das paradas musicais. 

Foi o que aconteceu com Loma e as Gêmeas Lacração, com “Envolvimento” (2018); MC G15, com “Deu Onda” (2016); e Banda Vingadora, com “Paredão Metralhadora” (2015). E agora acontece com o funkeiro fluminense Thiaguinho MT, 28, que se tornou conhecido em todo o país com o hit “Tudo Ok” e já planeja até turnê na Europa. 

Nascido em Araruama, na região dos Lagos, no Rio de Janeiro, Thiaguinho MT despertou interesse pelo funk por causa de um tio, que cantava com um amigo. Na época, porém, ele estava mais interessado em dançar e foi como bailarino que entrou para o grupo Os Felinos, há cerca de oito anos. Mas ele mesmo diz que era muito ruim nisso: “Em um mês me mandaram parar e passei a cantar”, brinca ele, aos risos. 

Já como cantor, Thiaguinho dividiu os vocais do grupo com outro três colegas, cantando funk no estilo proibidão, ou como ele mesmo diz: “putaria mesmo”, por quatro anos. Em suas letras cantava frases como: “Me chamou pra fuder”, “Então vem galopando na pica” e “Sexo e maconha é minha definição de vida”. 

A mudança no estilo aconteceu recentemente, quando Thiaguinho MT assinou com a atual gravadora e se mudou para São Paulo. “Não foi difícil mudar não, aqui é malandragem de rua mesmo [risos]. Eles me mostraram que era melhor esse estilo, o bregafunk, e estavam certo, olha ‘Tudo Ok’ explodindo aí”, afirma ele. 

Autor da maior parte de suas músicas, Thiaguinho conta que está sempre pesquisando, buscando inspirações para suas músicas. No caso de “Tudo Ok”, ele juntou frases soltas que recebeu no Whatsapp, como “cabelo tá ok, sobrancelha tá ok”, com outra vistas em redes sociais, como “vou pro baile pro desespero do meu ex”. 

“Assim que a gente fez, já imaginamos que poderia virar sucesso. Eu gosto muito de mostra a música pra pessoas que veem mais a rua, ficam mais na internet, eu nem era muito ligado nesse bagulho de Instagram aí, estou aprendendo agora. Mas as primeiras pessoas pra quem eu mostrei já tinham a melhor impressão do mundo.”

Para tornar “Tudo Ok” um sucesso, ele contou com JS o Mão de Ouro, seu companheiro musical nos últimos meses, que segundo Thiaguinho pensa igual a ele, e a cantora Mila, que ele afirma que conheceu apenas recentemente: “Foi o destino, sei lá. Ela veio gravar uma música [no estúdio] e tudo aconteceu. Deu muito certo pra nós dois”. 

Com o sucesso, o funkeiro afirma que não pensa em voltar aos proibidões. Com algumas parcerias já fechadas —apesar de não poder comentá-las ainda—, a expectativa é misturar o funk com o pagode, com o sertanejo, além de outros estilos, mas sem deixar o bregafunk que o tornou conhecido em todo o país. 

Mas quais são os estilos que o inspiram mesmo? Thiaguinho conta que, em casa, prefere ouvir rap e pagode. Funk mesmo, só os antigos. “O funk de hoje é mais batida, mas antigamente contava histórias, a história de amor pra mina ou a história de uma favela. Hoje é só ‘é hoje que ele paga todo mal que ele te fez’, é só isso”’. 

O gosto eclético do funkeiro aparece também nas parcerias que ele sonha fazer no futuro, que inclui os rappers Hungria e Projota e, principalmente, a roqueira Pitty. Enquanto isso não acontece, Thiaguinho aproveita a agenda cheia, que o fará viajar do Sul ao Norte do país no Carnaval, antes de seguir para a Europa, em março. 

CONHECENDO A AV. PAULISTA  

Apesar de ter estourado após se mudar para São Paulo, Thiaguinho afirma que a maior parte das referências usadas em sua carreira vieram da região em que cresceu em Araruama, na região dos Lagos, no Rio. Tanto que adotou o MT ao final de seu nome em homenagem aos bairros [Parque] Maratuna e Mutirão. 

“Quando fui cantar sozinho virei Thiaguinho, mas como tinha o Thiaguinho já famoso, a gente colocou Thiaguinho MT”, conta ele, que afirma ainda ser confundido com o pagodeiro nas redes sociais: “Esses dias, o Lucas Lima me marcou num show do Thiaguinho, eu não entendi nada. Os famosos vão marcar ele e me marcam”, conta rindo. 

Além de Araruama, o funkeiro afirma trazer pra sua música também as referências do Complexo do Chapadão, no Rio de Janeiro, onde também morou. Hoje, no entanto, ele vive em São Paulo, ou mais precisamente no bairro do Bosque da Saúde, já que pouco conheceu da cidade nos sete meses em que morou nela. 

“Só fico aqui [na gravadora] ou vou ali no shopping, aqui do lado. Até agora só conheci o Bosque da Saúde”, brinca ele, rindo. “Quero ir na avenida Paulista. Fui um dia, mas não conheci, preciso ir de novo e conhecer de verdade”, completa ele, que, apesar disso, afirma que pretende permanecer na capital paulista. 

Segundo ele, a única coisa ruim nessa mudança é a saudade que tem dos filhos, Bernardo, 8, e Bela, 1, e da mãe, além dos bailinhos, claro. Mas e o coração? Thiaguinho afirma que prefere não responder: “Vou deixar meu relacionamento em aberto”. 


LISTA DE MAIS TOCADAS NA SEMANA ANTERIOR AO CARNAVAL

Mais ouvidas Deezer
“Sentadão”, de Pedro Sampaio, Felipe Original e JS o Mão de Ouro
“Combatchy”, de Anitta, Lexa e Luísa Sonza 
“Tudo Ok”, de Thiaguinho MT, Mila e JS o Mão de Ouro 
“Vem Me Satisfazer”, de MC Ingryd
“Verdinha”, de Ludmilla 
“Parabéns”, de Pabllo Vittar e Psirico
“Amor de Que”, de Pabllo Vittar
 “Aquecimento da Lexa”, de Lexa  

Mais ouvidas Spotify
“Liberdade Provisória”, de Henrique & Juliano
“Tudo Ok”, de Thiaguinho MT, Mila e JS o Mão de Ouro
 “A Gente Fez Amor”, de Gusttavo Lima
“Sentadão”, de Pedro Sampaio, Felipe Original e JS o Mão de Ouro
“Vem Me Satisfazer”, de MC Ingryd
“Graveto”, de Marília Mendonça
“Com ou Sem Mim”, de Gustavo Mioto
“Combatchy”, de Anitta, Lexa e Luísa Sonza


'TUDO OK' COM MEMES TAMBÉM

Além de lançar Thiaguinho, JS o Mão de Ouro e Mila nacionalmente, a música "Tudo Ok" também ganhou as redes sociais com memes envolvendo famosos, como Fátima Bernardes e William Bonner, Debora Nascimento e José Loreto, Bruna Marquezine e Neymar. 

A cantora Mila, que divide os vocais com Thiaguinho MT, até elegeu a sua preferida: "Eu gosto daquela montagem da Fátima [Bernardes]. Ficou muito boa. Tem várias versões muito boas, a internet é maravilhosa, abriu as portas para a música, abraçou, e caiu na graça da galera." 

Ela, que entrou no projeto já no final, afirmou ter ficado lisonjeada com o convite para participar: "A gente está muito feliz. Graças a Deus caiu na graça do público (...) A gente sempre idealiza, mas [sucesso] nessa proporção acho que não [imaginava]. Estamos muito felizes."

Segundo a cantora, os fãs podem esperar por mais parcerias entre ela, Thiaguinho MT e JS o Mão de Ouro: "Nós três temos vários planos, várias músicas, e pretendemos fazer outra parceria mais pra frente. Esse trio deu muito certo". 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem