Música

Ivete defende liberdade sexual no Rock in Rio Lisboa: 'vamos ensinar o intolerante a amar'

Cantora disse que nunca haverá sociedade sadia, se o direito de amar não for para todos

Ivete Sangalo usa vestido curto preto na apresentação do Rock in Rio Lisboa
Ivete Sangalo se apresenta no Rock in Rio Lisboa - Reprodução/Instagram
Sidney Gonçalves do Carmo Eligia Aquino Cesar
Lisboa

Com a torre de Belém como cenário, Ivete  Sangalo, 47, encerrou neste domingo (8) a festa de 15 anos do Rock in Rio Lisboa, que começou na última sexta (6) na capital portuguesa. 

Com pouco mais de uma hora de show, entre um intervalo de música e outro, a cantora baiana fez um discurso em defesa da liberdade sexual.

“Beijem-se à vontade, se abracem, sejam felizes, porque a vida passa e a gente fica se importando com o que o outro está pensando, quando, na verdade, o outro que condena, que é intolerante, ele começa intolerante consigo, não compreende o que está dentro dele. Por isso, como ele não é feliz, não quer que o outro seja. Vamos ensinar o intolerante a amar, a saber como amar e ser feliz”, disse a cantora. 

Sem citar nomes de políticos e até mesmo do Brasil, Ivete afirmou ainda que é “gostoso quando a gente tem a liberdade de poder demonstrar o nosso afeto a alguém”. 

 

“É maravilhoso quando a gente tem essa liberdade. Eu fico tão feliz porque meu marido e eu a gente se beija, se abraça, se ama em qualquer canto que queremos, em todo lugar que a gente vai,  temos a liberdade de fazer isso”, disse a cantora, que foi aplaudida pelas mais de 30 mil pessoas presentes ao evento, segundo a polícia. 

Ela disse ainda que fala ao filho, Marcelo, de nove anos, que a “coisa mais importante é a liberdade de amar, de podermos amar”. 

“Tem uma coisa que nos incomoda, além de tantas outras coisas no mundo de hoje, por isso que eu canto ‘além do horizonte deve ter algum lugar bonito para viver em paz’... o que nesse nosso horizonte está cada vez mais difícil, a gente ter a liberdade de poder amar. Quando queremos amar, tem sempre alguém que quer dizer para nós que não é possível amar do jeito que queremos amar.” 

“São diferentes formas de amar e todas elas são importantes na construção das nossas vidas, da nossa sociedade sadia. Não vai haver nunca uma sociedade sadia, se o direito de amar for para alguns e não para todos. Isso vale para a educação, para a saúde, mas, em meio a toda essa turbulência do mundo, a nossa única saída é amar e existem pessoas que não querem deixar as pessoas amarem a vontade”, completou a cantora. 

Proibição de HQ

Na quinta-feira (5), o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), anunciou nas redes sociais que mandou censurar exemplares do gibi “Vingadores - A Cruzada das Crianças”, expostos na Bienal do Livro.

"Pessoal, precisamos proteger as nossas crianças. Por isso, determinamos que os organizadores da Bienal recolhessem os livros com conteúdos impróprios para menores. Não é correto que elas tenham acesso precoce a assuntos que não estão de acordo com suas idades", postou Crivella no Twitter.

A imagem a qual ele se refere como imprópria traz dois rapazes se beijando, completamente vestidos. Segundo a organização da Bienal, a prefeitura enviou uma notificação extrajudicial, na qual pedia que os livros fossem lacrados e que viessem com classificação indicativa ou aviso de que o material contém cenas proibidas para menores de idade. A Bienal se recusou a atender a ordem, alegando que o conteúdo não é impróprio e nem pornográfico.

Celebridades, entre as quais Alessandra Negrini, Paola Carosella e Letícia Sabatella, se manifestaram contrárias a atitude de Crivella em suas redes sociais. Embora não tenha deixa claro se estava se referindo a esse episódio, Ivete deixou um conselho desfavorável a intolerância para público que assistia ao seu show: “especialmente quando estiverem perto de mim no meu show, o amor de vocês, seja ele qual for, é muito bem vindo".

Ivete e o Rock in Rio

Ivete abordou o "amor imenso" que os brasileiros têm por Portugal e que ela sente que é recíproco. A cantora aproveitou a deixa para falar do desejo que o Brasil tenha dias melhores. "O Brasil tem muitas coisas maravilhosas e, acima de tudo, o maravilhoso do Brasil, sem dúvidas, é o povo brasileiro, que está na luta. Vamos chegar em um lugar bom para todo mundo viver com respeito, direitos e com tudo que a gente tem e merece"

A cantora baiana recordou ainda a primeira edição do Rock in Rio, em 1985, no Rio de Janeiro, quando ela estava prestes a completar 13 anos. "Eu me lembro quando o Rock in Rio aconteceu no Brasil. Vocês não têm ideia do sonho que era para nós poder ir ao Rock in Rio, mas painho não deixava de jeito algum. E eu pensava comigo 'será, pai? Será que eu não vou para esse lugar?' Lembro que pensei 'algum dia, de alguma maneira, eu vou conseguir ir ao Rock in Rio'. 

O sonho, evidentemente, se concretizou e Sangalo diz se sentir extremamente grata a Deus por isso. "A coisa mais linda que me aconteceu foi poder estar no Rock in Rio sendo parte da festa, cantando para vocês. De alguma maneira eu sabia que um dia poderia acontecer algo dessa grandeza, mas todos os dias, agradeço a Deus por não tirar de mim a emoção de compreender o quanto isso é importante. Sou uma cantora feliz e, por conta dessas parcerias lindas que eu tenho, como o Rock in Rio, a minha carreira é brilhante, graças a Deus", finalizou a cantora.

Quinze anos

Com pouco menos de duas horas de show, Ivete Sangalo cantou as musicas de seu último DVD, "Ivete Live Experience", gravado em São Paulo, em dezembro do ano passado. A cantora também relembrou sucessos de sua carreira. 

Antes do início da apresentação — que comemora os 15 anos da primeira edição do Rock in Rio Lisboa — marcada para começar às 21h15, houve um princípio de tumulto em um dos acessos de um cerco formado ao redor da torre de Belém para os shows. Como a entrada era grátis, a polícia fechou os portões impedindo que centenas de pessoas entrassem no espaço.

A medida foi tomada porque, segundo a polícia, a capacidade máxima do espaço era de 30 mil e já haviam mais 33 mil pessoas. Por isso, ninguém mais entraria no local. Devido a confusão, a tropa de choque portuguesa foi acionada e, em determinados momentos, agiu com truculência, com uso de spray de pimenta e cassetetes para dispersar o público, que permaneceu postado na entrada. 

O Rock in Rio Lisboa teve sua primeira edição em 2004. Com a mesma estrutura que o festival tem no Brasil: foi construída no parque Bela Vista, uma grande estrutura para abrigar um palco central e diversas tendas. O festival, que durou seis dias, contou com apresentações de nomes como Paul McCartney, Foo Fighters, Metallica, Britney Spears, Sting, Charlie Brown Jr. e Ivete Sangalo.

 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem