Música

Aviões do Forró é investigada por lavagem de dinheiro e sonegação fiscal

O inquérito está sob sigilo e conta com o procurador Rômulo Moreira Conrado à frente do caso

Solange Almeida e Xand Avião: alvos de inquérito do Ministério Público Federa do Ceará
Solange Almeida e Xand Avião: alvos de inquérito do Ministério Público Federa do Ceará - Fabiano Battaglin e Jooão Luís
São Paulo

A banda Aviões do Forró segue investigada pelo Ministério Público Federal do Ceará pelos supostos crimes de lavagem de dinheiro —em razão de ocultação de patrimônio— e sonegação fiscal.

O inquérito está sob sigilo e conta com o procurador da República Rômulo Moreira Conrado à frente do caso. O MPF do Ceará confirmou as informações à Folha, mas não revelou detalhes da investigação. O caso tramita desde 2013, quando surgiu uma denúncia anônima relatando os crimes praticados pela banda no Ministério Público. 

De acordo com o Código Penal, crime contra a ordem tributária prevê reclusão de dois a cinco anos e multa. 

Até então, o leque de investigação era maior: envolvia homicídios e tráfico de drogas. Estes dois últimos supostos crimes não fazem mais parte do inquérito, uma vez que, segundo o MPF, "não foram encontradas quaisquer evidências ou indícios mínimos do cometimento dos delitos".

Como o inquérito se arrasta, alguns crimes saíram da investigação e o andamento está sob sigilo, o MPF do Ceará não soube especificar exatamente quais as pessoas físicas ainda estão no alvo. 

Em paralelo às investigações, a cantora Solange Almeida, 44, está processando a sua antiga banda. Ela  deixou de ser uma das sócias e vocalista em fevereiro de 2017 e busca na Justiça os seus direitos. De acordo com o jornalista Léo Dias, ela pede R$ 5 milhões.

 

“Queria dizer que essa ação é verdadeira. Por respeito com a história que eu tinha vivido com a banda eu não quis ser a vítima da situação e não quis de certo modo criar um mal-estar, então aceitei tudo o que foi proposto. A minha saída do Aviões, chamei os sócios e disse que não ficaria mais na banda, e que eu os daria dois anos para isso [se programarem]. Aí eles me disseram em 2016 que iriam acabar com o Aviões dia 1º de setembro de 2017”, disse.

Porém, segundo Solange, as coisas começaram a mudar com o anúncio da saída, em 2017. “Simplesmente fiquei na minha. Logo em seguida fui convidada pelo Fantástico para dar uma nota, e eles [sócios da banda] simplesmente não deixaram. Me colocaram dentro do quarto no Piauí e pediram que eu fizesse um vídeo junto com Xand [atual vocalista] e eu fiz. E aí eu levei a culpa inteira que eu era a ingrata, que eu era a escrota, que eu queria mais dinheiro”, revelou.

Chateada com toda a situação, Solange conta que não queria que todo esse problema viesse a público. Mas, agora, ela irá até as últimas consequências para receber o que, segundo ela, lhe é de direito. “Alguns dias depois eu assinei a minha saída da sociedade e eles ficaram certos de me pagar a parte que me cabia. Esperei quase dois anos e nada foi feito. Eu estava perdendo esse tempo. Ingressei na Justiça em fevereiro para março deste ano para que eu tivesse meus direitos reconhecidos", afirmou.

"Qualquer pessoa que trabalhe tem que ter seus direitos. Dediquei uma vida e abdiquei de muita coisa. Cansei de ser saco de pancada”, completou.

A cantora concluiu dizendo que fica triste com a repercussão negativa e que até chora porque não queria que as coisas tivessem chegado a esse ponto. “Tinha na minha cabeça que essa história iria ser linda do começo ao fim. Quantas tentativas de encontros para sentar, tomar um vinho e dar um abraço. Todas me foram negadas. Vocês não tem ideia de tudo o que eu passei.”

Outro lado

A assessoria de imprensa do Aviões do Forró disse em nota que é mentira "que a ex-vocalista Solange tenha pedido R$ 5 milhões como indenização por ter saído do Aviões do Forró". Procurada para comentar o desmentido, a assessoria de Solange não respondeu até a publicação deste texto. 

Sobre as investigações em andamento, isto é, sobre lavagem de dinheiro e sonegação de impostos, a assessoria de imprensa do Aviões do Forró, de Isaías CD e Xand Avião disse que "a empresa já compareceu espontaneamente perante à autoridade fiscal e forneceu elementos contábeis necessários à aferição dos tributos devidos, tendo, inclusive, aderido ao REFIS - já consolidado, estando pagando pontual e regularmente tais obrigações." 

A assessoria de imprensa de Solange Almeida não respondeu. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem