Estilo

Primeiro Mister Brasil negro diz que não existe 'um padrão de beleza único' no Brasil

Ítalo Cerqueira, 27, é sargento do Exército e representou a Paraíba

Sargento do Exército, Ítalo Cerqueira vence o Mister Brasil CNB 2019 - Instagram/italocerqueira
Fábio Luís de Paula
São Paulo

O sargento do Exército Ítalo Cerqueira, 27, é o primeiro homem negro a vencer o concurso Mister Brasil CNB, realizado no último dia 5 —antes dele, foram 15 rapazes brancos no posto. Mas numa edição de primeiras vezes, como foi a deste ano, ele também se tornou o primeiro candidato da Paraíba e do Nordeste a conquistar o título.

“Não existe padrão de beleza único ou certo no Brasil. Não é só homem branquinho de cabelo liso que é bonito. Acredito que a beleza depende mais da essência da pessoa do que do seu exterior”, disse em entrevista à Folha, revelando que desde a inscrição, já tinha o objetivo de se tornar o primeiro candidato negro a vencer o Mister Brasil. 
“Estou muito surpreso, mas também satisfeito de ter conseguido. Quero mostrar a força do povo brasileiro, que é um povo de etnias diversificadas e um país mestiço”, completa ele. 

Dos 40 candidatos da disputa, apenas cinco eram negros. Nesse grupo, além de Cerqueira, estavam o Mister Rio Grande do Sul, Thales Machado; o Mister Fernando de Noronha, Cuca Souza; o Mister Grande Belém (PA), Jonas Rodrigues; e o Mister Guamá (PA), Gilberto Melo. Nenhum deles se classificou entre os dez finalistas.

Na distribuição nacional, São Paulo é o estado que acumula mais títulos, somando quatro, seguido por Rio Grande do Sul (3), Distrito Federal (3) e Rio de Janeiro (2). Entre as descobertas do concurso estão os atores Anderson Tomazini, o Xodó de “O Outro Lado do Paraíso” (Globo), Lucas Malvacini, o Anjinho de “Amor à Vida” (Globo), os ex-BBBs Jonas Sulzbach, Rodrigão e Eliéser, e o modelo internacional Lucas Gil.

“Ao subir na passarela, levo comigo milhões de negros e negras que, diariamente, lutam para serem vistos, reconhecidos e valorizados. O preconceito ainda é muito grande no nosso país. Precisamos ocupar todos os espaços, inclusive o mundo da beleza, que por tanto tempo repetiu padrões valorizando uns e excluindo tantos outros”.

Apesar da declaração, ele afirma que em nenhum momento ou situação do processo seletivo do certame sentiu algum tipo de discriminação racial. “Ainda não caiu a ficha. Mas sei do peso que essa vitória tem. E isso me deixa muito honrado e feliz. É nossa negritude no topo!”.

Além de modelo, o jovem é também sargento do Exército e vai agora representar o país no Mister Supranational, no final do ano, na Polônia. “No quartel, no início, não queria comentar que ia participar, pois achei que teria algum preconceito. Porém, fui novamente surpreendido e todo o pessoal aceitou e torceu por mim, inclusive meu superior”, relata.

Apesar de representar a Paraíba no concurso nacional, Cerqueira é carioca. Ele se mudou para o país nordestino aos sete anos. “Meu pai é militar aposentado e, quando eu era criança, ele foi transferido para trabalhar na Paraíba. Toda a família, então, mudou-se. Sempre digo que o sangue e o sotaque são de carioca, mas o coração é paraibano”.

Cerqueira afirma que seu maior desejo é mostrar que tudo é possível pra todos. “Se é um sonho, merece a devida atenção e dedicação. Nossa vontade de fazer esse sonho acontecer vai dizer muito sobre como enfrentaremos a jornada até a chegada ao destino final. É preciso se preparar e lutar, dia após dia, para alcançar o objetivo. Pode parecer difícil, árduo e, em alguns momentos, até bater o cansaço que desmotiva. Mas insista, pois a conquista passa a ser apenas uma questão de tempo”, diz.

Assim como o feminino Miss Brasil Mundo, o Mister Brasil CNB é licenciado oficial da Miss World Organisation, que realiza o Miss Mundo e o Mister Mundo. A avaliação dos rapazes segue os moldes do Mister Mundo (ou Mister World, no original), com provas preliminares classificatórias. 

Os misters participaram de desfiles de moda praia e noite, prova de talentos, além de uma entrevista preliminar. Outro desafio que valeu pontos foi a apresentação e defesa de um projeto social, que deve ter sido idealizado e executado pelo próprio mister em sua região de origem. 

Com o resultado final, não apenas o vencedor tem chance de representar o Brasil, pois a organização envia outros candidatos bem classificados para os principais concursos masculinos ao redor do planeta. Além do Mister Mundo, entram aí o Mister Supranational, Mister Global, Manhunt International, Mister International, entre outros.

Confira os vencedores do Mister Brasil CNB:

1996 - São Paulo - Thierre Di Castro - Mister São Paulo
1997 - Edilson Ferreira Leite - Mister Distrito Federal
2000 - Ramílio Zampiron - Mister Distrito Federal
2001 - Gustavo Gianetti - Mister Rio de Janeiro
2007 - Lucas Gil - Mister Pará
2008 - Vinicius Ribeiro - Mister Espírito Santo
2010 - Jonas Sulzbach - Mister Ilha dos Lobos (RS)
2011 - Lucas Malvacini - Mister Ilhas de Búzios (RJ)
2012 - Willian Rëch - Mister Rio Grande do Sul
2013 - Reinaldo Dalcin - Mister Ilhas do Delta do Jacuí (RS)
2014 - Lucas Montandon - Mister Distrito Federal
2015 - Anderson Tomazini - Mister Ilhabela (SP)
2016 - Carlos Franco - Mister São Paulo
2017 - Matheus Song - Mister Caminho dos Príncipes (SC)
2018 - Samuel Costa - Mister São Paulo
 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem