Diversão

Bailarinos do Fitdance se queixam de salários e reconhecimento após deixarem o grupo

Grupo de dança foi um dos assunto mais comentados na web após desabafos

Grupo Fitdance puxa trio sem cordas no Carnaval da Bahia - Elói Corrêa - 24.fev.20/GOVBA
São Paulo

O grupo de dança Fitdance virou um dos assuntos mais comentados da internet nesta quarta-feira (22), após ex-bailarinos divulgarem problemas e insatisfações em suas redes sociais. Baixos salários e falta de reconhecimento foram as principais reclamações.

A polêmica começou após o bailarino Diogo Pretto, que encerrará seu contrato com o grupo no dia 1º de agosto, postar um vídeo de desabafo em sua conta no Instagram. Nele, ele afirma que cansou de ver as coisas acontecendo e ficar calado. “Não estou com raiva, não estou com ódio, só vim aqui desabafar”.

“Eu vejo que a gente é descartável e a gente não pode ser descartável. Porque a gente fez, e ainda faz, de tudo para que isso crescesse junto. E agora fica com conversa fiada de ‘ciclo fechou’, como se fossem eles que quisessem isso. Está se fechando porque a gente quer sair, ninguém aguenta mais”, afirmou ele.

Pretto afirmou que recebia “muito pouco” e que por vezes fez coreografias sem ser remunerado por isso. “Eu passei um tempo mal, doente. Eu passei um tempo tão mal que eu dei um murro na porta, que atravessou a porta. Mas hoje estou de boa, calmo, sereno. Só quero sair livre, e que me deixem em paz”, disse.

Após a publicação, outros ex-dançarinos do grupo também se manifestaram. Lore Improta, que começou sua carreira artística no Fitdance, gravou um Stories afirmando para seus seguidores “nunca desacreditarem da justiça de Deus. Nunca, porque o mundo dá muitas voltas, gente”. Ela, no entanto, não citou o grupo.

Também expuseram suas insatisfações com o Fitdance os dançarinos Juliana Paiva e Dam Fernandes, que deixaram o grupo no ano passado, e até mesmo a coreógrafa Lua Vilas, que hoje trabalha com a cantora Ivete Sangalo. “Meus créditos das coreografias só colocava quando brigava, e muitas estão sem ainda.”

Em nota, o Fitdance afirmou que tomou ciência das críticas e ataques dos ex-membros e definiu como "acusações injustas e sem o contexto completo do histórico da relação." "Existe um grande esforço e custo para manter toda a plataforma de serviços, educação continuada, benefícios e eventos para manter ativa a geração dos milhares de empregos diretos e indiretos, e todo o papel social que temos junto a comunidade. No caso desses integrantes que fazem parte do time de maior visibilidade nas redes sociais, o investimento com eles já ultrapassou alguns milhões de reais em cachês."

O dono do grupo, o empresário Fábio Duarte, fechou seu perfil no Instagram durante o dia. Já a página oficial do Fitdance publicou uma mensagem de despedida a Diogo Pretto, dizendo que “reforça reconhecimento” por sua colaboração.

De acordo com o comunicado divulgado à imprensa, as receitas do Fitdance são valore acima da média do mercado, diferente do que foi propagado nas redes sociais dos ex-membros. Além disso a empresa afirmou que muitos deles conseguiram se desenvolver profissionalmente graças ao Fitdance, apesar de "descumprirem alguns acordos".

"A empresa procurou ao máximo, sempre que possível, resolver grande parte disso de maneira amigável e procurando sempre capacitá-los para se desenvolverem nas plataformas que eram o foco principal. O fato de, no decorrer do tempo, alguns dançarinos da equipe não terem conseguido ou terem optado por não focar nas principais oportunidades da empresa fez com que eles quisessem seguir com outros planos."

Fás do grupo acabaram cobrando o Fitdance também pelas redes sociais: "Trate com mais respeito seus dançarinos, eles merecem!", afirmou uma seguidora no Instagram. "Daqui uns dias só vai ter o fit", brincou outra. "Depois da exposição que vem esse “reconhecimento”, né, baby", comentou mais um.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem