Diversão

Mostra em SP apresenta xilogravuras que carregam questões da cultura popular

Exposição no Sesc Santo Amaro traz obras de 8 jovens artistas

Xilogravura "Dicotomia do Ser", da artista Julia Bastos, está na mostra do Sesc Santo Amaro. Obra exibe duas mulheres: enquanto a de cabelo longo observa, a de cabelo curto vomita cristais
Xilogravura "Dicotomia do Ser", da artista Julia Bastos, está na mostra do Sesc Santo Amaro - Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Descrição de chapéu Agora
Fernando Silva
São Paulo

Montada no Sesc Santo Amaro desde sábado (10), a exposição "Madeira Nova" exibe a produção de oito jovens artistas que trabalham com desenhos feitos em madeira ou em outros materiais –técnica chamada de xilogravura e abordada em diversas oficinas do Sesc. Os selecionados são nomes em ascensão na cena. 

Julia Bastos tem 21 anos, é estagiária do museu Lasar Segall, na zona sul de São Paulo, e se diz influenciada pelo expressionismo. Ela apresenta três obras na mostra. “Cárcere” exibe uma mulher nua cercada de dedos e mãos. “O Regurgito” revela alguém perplexo, expelindo cristais, e “Dicotomia do Ser” aposta em tema parecido.

A xilogravura em papel-arroz  tem duas moças: enquanto uma delas observa, a outra vomita exemplares da mesma pedra preciosa. “É como algo tóxico, que faz mal, e ela põe para fora. Ainda quis mostrar a dualidade entre o passivo, que só vê, e o ativo, que faz alguma coisa”, afirma ela.

Já Gabriel Balbino, 19, é integrante do coletivo XiloCeasa e expõe um colorido “Porco-Espinho”. Assim, retrata sua paixão por animais que, segundo ele, se "sobressaem". “É exótico, cheio de espinhos e um símbolo de força e resistência. Quem mexer com ele, pode se dar muito mal”, explica.

Ambos representam uma geração que vê na técnica uma nova forma de expressão. "Vejo que há cada vez mais gente fazendo xilogravura", afirma Balbino, que conta se inspirar no artista Santidio Pereira (colega de coletivo e também com trabalhos na exposição).

Julia vai além. “Enquanto estou no processo, vou modificando o desenho até imprimir a obra na madeira. Quando isso acontece, concretiza-se o que sinto e vivencio. É como se fosse uma foto, com a sua impressão de algo. No caso, literalmente."

Madeira Nova - Xilogravura Contemporânea

  • Quando De ter. a sex., das 10h às 21h30; sáb., dom. e fer., das 10h às 18h30. Até 19/2
  • Onde No Sesc Santo Amaro (r. Amador Bueno, 505, Santo Amaro)
  • Preço Grátis
  • Classificação Livre
  • Tel. (11) 5541-4000
Agora
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias