Tony Goes

Comediantes tentam salvar No Limite e Mestre do Sabor, mas não geram engajamento

Rafael Infante e Edelson Ribeiro ainda não corresponderam às expectativas

O humorista Rafael Infante comenta os melhores acontecimentos do programa No Limite, e Edelson Ribeiro comenta o programa Mestre do Sabor - Montagem
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Um dos grandes acertos do Big Brother Brasil 20 foi a introdução do CAT BBB nas noites de terça-feira, quando ocorrem as eliminações. O quadro foi tão bem que voltou no BBB 21, com o comediante Rafael Portugal atendendo ligações em um fictício “centro de atendimento” e dando respostas hilárias às demandas dos telespectadores.

Agora a Globo tenta repetir a fórmula em dois outros reality shows competitivos: a terceira temporada de Mestre do Sabor e o ressuscitado No Limite. Nenhum deles é um fenômeno de audiência. Portanto, qualquer ajuda é bem-vinda.

Mestre do Sabor é um sucesso comercial. É um formato criado dentro da própria emissora, para entrar –com bastante atraso– na onda dos concursos culinários. Não faltam patrocinadores, mas não é o tipo de programa que incendeia as redes sociais.

Para corrigir esta falha, Boninho convocou o humorista maranhense Edelson Ribeiro, também conhecido como o Sobrevivente. Com mais de 2,6 milhões de seguidores no Instagram, Ribeiro faz sucesso com vídeos em que narra e comenta o preparo de pratos estranhos. Parece sob medida para Mestre do Sabor, certo?

Só que alguma coisa se perdeu na passagem para a televisão. O quadro VAR do Sabor, no ar há algumas semanas, ainda não causou o impacto esperado. Talvez porque sejam só duas inserções por episódio, com não mais de um minuto cada uma.

Ou, vai ver, porque o tom irreverente de uma pessoa comum espantada com os ingredientes exóticos usados pelos concorrentes do reality, não combine com a seriedade imprimida pelos jurados.

O caso de No Limite é mais grave. Fora do ar há mais de uma década, o pioneiro dos reality shows da TV brasileira retornou com um elenco inteiramente formado por ex-BBBs. Com caras já conhecidas pelo público, imaginou-se que o engajamento seria imediato.

Não foi o que aconteceu. O programa derrubou os números de audiência de seu horário, e a repercussão na internet passa longe da que teve o BBB 20. Parte desse fiasco pode ser atribuída ao apresentador André Marques, que não tem a energia de seu antecessor, Zeca Camargo, nem parece muito interessado no desenrolar das provas.

Nesta terça (22), o ator Rafael Infante estreou o quadro Sem Limites, em que comenta o comportamento dos participantes. Tarimbado por participações em vários programas da Globo e inúmeros vídeos do Porta dos Fundos, ele parecia ser uma aposta certeira para esquentar No Limite.

Por enquanto, não deu certo. Infante surgiu em três inserções rápidas explicando para o telespectador cenas que ele já havia visto. Não acrescentou nada e não teve a menor graça.

Tanto Edelson Ribeiro quanto Rafael Infante são talentosos e muito bem-sucedidos em outras empreitadas. Mas, até o momento, nenhum dos dois disse a que veio em seus respectivos programas.

O que levanta a suspeita de que o problema não esteja nos comediantes, mas na maneira como eles vêm sendo aproveitados. Em última análise, nos reality shows em si.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem