Tony Goes

BBB 21: Globo terá que interferir no jogo para segurar os vilões dentro da casa

Com a eliminação de Nego Di, Karol Conká e Projota suspeitam que estão na mira do público

Karol Conká, Nego Di, Lumena e Projota formaram o chamado 'Gabinete do Ódio' - João Cotta/Globo

Sobraram 16 jogadores dentro da casa mais vigiada do Brasil. Três deles estarão no próximo paredão. É bastante provável que um dos três remanescentes do chamado “Gabinete do Ódio” –Karol Conká, Lumena e Projota– seja emparedado. E, se for mesmo, também será o próximo eliminado.

Eis o desafio da produção do BBB 21 para as próximas semanas: evitar que os vilões desta edição sejam expulsos um a um, transformando o reality num concurso de plantas ornamentais.

Não é um desafio tão grande assim. Nunca foram tão claras as interferências externas no jogo, que vão de toques no confessionário aos participantes que estão se excedendo a recursos como o contragolpe e o cancelamento da prova bate-e-volta. Boninho não hesitará em lançar mão desses expedientes novamente e, até certo ponto, não há nada de muito errado nisso. Antes de mais nada, o Big Brother Brasil tem que funcionar como entretenimento.

Chama a atenção a mudança de comportamento de Karol Conká. Nas primeiras semanas do programa, a cantora espantou o Brasil com suas atitudes cruéis, captadas pelas câmeras do pay-per-view. Mas, durante a edição noturna, a Globo não exibiu várias das barbaridades proferidas por ela, que mesmo assim lhe custaram patrocínios, oportunidades de trabalho e milhares de seguidores.

De uns dias para cá, essas duas narrativas se aproximaram. Karol passou a controlar melhor sua língua, a pedir desculpas a quem ofendeu e a se dizer arrependida de certas coisas. Em paralelo, a TV aberta assumiu que ela é mesmo a grande malvada, mas em chave humorística. Uma tentativa explícita de limpar a imagem da paranaense e segurá-la na competição por mais alguns rounds.

De qualquer forma, Karol Conká não se mostrou especialmente abalada com a eliminação de Nego Di. Foi só durante a madrugada que a ficha pareceu cair: “Começo a pensar que eu saio na próxima”, disse ela a Fiuk. A rapper também concluiu, acertadamente, que a maneira com que Nego Di tratou Lucas Penteado contribuiu bastante para a elevada rejeição do comediante; e, vale lembrar, ninguém tratou Lucas pior do que ela mesma.

A ficha de Projota caiu mais rápido. O cantor não escondeu a surpresa e a decepção quando Tiago Leifert anunciou que Nego Di sairia, e sua reação rapidamente viralizou nas redes sociais.

O caso dele é curioso. Nos primeiros dias, parecia que Projota seria a voz da razão e da experiência, e sua famosa conversa “de pai para filho” com Lucas confirmou essa impressão. Que logo se dissipou: na sequência, o paulista se juntou ao bullying contra Lucas, liderado por Karol Conká. Agora ele finalmente percebe a besteira que cometeu?

A noite desta terça (16) pode ter sido um ponto de inflexão do BBB 21. Sarah escapou de dois paredões. Esperta como ela é, já deve ter sacado que tem bastante força aqui fora. Fiuk, que andava fragilizado e sem tônus, pode ter finalmente acordado para o jogo. Enquanto isto, Gilberto pôs em risco seu favoritismo ao se jogar numa briga inútil com Pocah, outra dorminhoca contumaz.

Mas quem corre mesmo perigo são Projota, Lumena e Karol Conká. É bom eles tomarem tento na vida, porque boa parte do Brasil anda de saco cheio dos vilões irredutíveis. Haja vista a comemoração nas redes sociais da prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), na mesmíssima noite em que Nego Di foi eliminado.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem