Tony Goes

Pena imposta a Danilo Gentili é absurda de tão exagerada

Por injúria a deputada, humorista foi condenado a seis meses de prisão

Danilo Gentilli na série 'Politicamente Incorreto' - Divulgação

São Paulo

Já tive duas tretas públicas com Danilo Gentili. A primeira foi em 2013, quando ele apresentava o talk show “Agora É Tarde”, na Band. O estopim foi uma coluna aqui no F5, em que eu questionava a maneira amadorística como ele havia entrevistado o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP). 

Em 2017, também no F5, eu critiquei sua reação infantil a uma moção de censura enviada pelos advogados da deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) – o famoso vídeo em que ele rasga o documento e enfia os pedacinhos na cueca, para depois colocá-los em um envelope e enviá-los de volta à parlamentar.

Nas duas ocasiões, Gentili atiçou seus seguidores nas redes sociais a me atacarem. Minhas caixas-postais se encheram de ofensas e ameaças.


Essa tática de intimidação foi usada inúmeras vezes pelo comediante contra seus desafetos. Demonstra leviandade e pequenez de caráter. Danilo Gentili é extremamente talentoso, mas não aparenta ser lá essas coisas como ser humano. E, no entanto, eu estou indignado com sua condenação. 

Para quem ainda não sabe: Gentili foi processado por Maria do Rosário por injúria, e condenado em primeira instância a seis meses de prisão, em regime semiaberto. A sentença é um catatau com 113 páginas. E a juíza parece condenar o humorista mais pelo conjunto de ofensas disparadas por ele ao longo dos anos, contra distintos alvos, do que pelo caso específico de Maria do Rosário.

Como era de se esperar, a internet rachou ao meio. De maneira geral, a esquerda comemora a possível prisão de Gentili (ainda cabe recurso), enquanto a direita reclama do cerceamento à liberdade de expressão. Até Jair Bolsonaro manifestou sua solidariedade ao apresentador do The Noite (lembrando que o presidente sequer mandou pêsames à família do músico fuzilado por engano por militares, no Rio de Janeiro, no domingo passado).

Eu, que me considero uma pessoa de centro, não sou muito fã de Gentili. Mas estou perplexo com essa condenação absurda. Além de tudo, ela aprofunda ainda mais a divisão que nos aflige. Dá argumentos de mão beijada para os radicais de direita, que têm a oportunidade de posar de vítimas de uma injusta perseguição.

Injusta a pena é mesmo, mas duvido que seja levado a cabo. Os advogados de Gentili provavelmente conseguirão revertê-la, ou transformá-la em uma multa. Só que o simples fato desta sentença ter sido proferida já é de arrepiar os cabelos, pois sinaliza um país em que o diálogo escasseia cada vez mais e pequenos conflitos são resolvidos com balas de canhão.

Em nome da democracia, da justiça e da liberdade, aqui vai minha adesão à campanha #DaniloLivre.
  

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem