Tony Goes

Estreia de Agora é com Datena escancara o desgaste dos programas dominicais

Programa estreou neste domingo (22) marcando uma média de três pontos no Ibope

José Luiz Datena no cenário do Agora É Com Datena (Band)
José Luiz Datena no cenário do Agora É Com Datena (Band) - Kelly Fuzaro/Divulgação Band

A culpa é de Silvio Santos. Foi o dono do SBT que instaurou, na década de 1960, a onda dos programas intermináveis de domingo.

Silvio entrava no ar, pela TV Paulista de São Paulo (atual Globo), por volta do meio-dia, e ficava no palco até as dez horas da noite. Ao vivo.

Com o tempo, partes do Programa Silvio Santos passaram a ser gravadas previamente. A atração também foi encolhendo pouco a pouco. Hoje quatro horas, das 20h de domingo à 0h de segunda, sempre pré-gravadas.

Mas o sucesso de SS ao longo de seis décadas foi tão avassalador que a moda se espalhou. E gerou um formato inusitado, com alguns similares na América Latina: o programa de auditório com muitas horas de duração, centrado em um apresentador carismático e geralmente exibido nas tardes de domingo.

O formato tem algumas vantagens, ainda mais se for transmitido ao vivo: o custo de produção é relativamente baixo. Se o apresentador for bom de improviso (para não dizer enrolação), segura-se o espectador diante da TV com muito pouco.

Fausto Silva, Luciano Huck, Eliana, Rodrigo Faro, Celso Portiolli, Geraldo Luís e Sabrina (esta última, nas noites de sábado) são os seguidores atuais das maratonas televisivas inventadas por Silvio Santos, em maior ou menor grau.

Faustão também reduziu seu Domingão (Globo), que hoje em dia dura apenas três horas. Faro e Eliana ainda encaram autênticas provas de resistência no ar. Já Geraldo Luís viu seu orçamento e seu tempo de programa cortados drasticamente.

É neste cenário de maré vazante que entra um novo concorrente: José Luiz Datena, consagrado pelos noticiários policiais exibidos nas tardes de segunda a sexta.

Já há algum tempo que Datena vinha manifestando o desejo de mudar de área. Com as profundas mudanças sofridas pela grade de programação da Band, surgiu a oportunidade. Seu filho Joel assumiu o comando do Brasil Urgente, liberando o pai para encarar - aos 60 anos de idade - seis horas seguidas de programa dominical, boa parte delas ao vivo.

Agora é com Datena estreou neste domingo (22) marcando uma média de três pontos no Ibope. Não é um resultado ruim, mas tampouco é espetacular: a Band já atingia números parecidos antes. O problema é se esta cifra se dever à curiosidade do público em torno da estreia, e cair nas próximas semanas.

Datena fez o que pôde com a produção precária que lhe coube. Mas talvez nem mesmo um orçamento milionário garantisse um programa mais interessante. Seis horas seguidas são demais até mesmo para a mais empolgante das séries.

E no entanto, enquanto houver um mínimo de audiência e de anunciantes, o formato dos programas de auditório intermináveis vai continuar. Não importa a qualidade: se a relação custo-benefício for razoável, os domingos da TV aberta continuarão parecidos com os de 60 anos atrás.

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem