Mariliz Pereira Jorge

BBB 19: Ronco acaba com casamento. E com amizade?

Gustavo e Rodrigo passaram a noite roncando e acabaram com a paz

Rodrigo aproveita o almoço com os "brothers" para falar com todos sobre a convivência
Rodrigo aproveita o almoço com os "brothers" para falar com todos sobre a convivência - TV Globo

Na casa do BBB 19, a primeira noite foi movimentada, mesmo sem festa, birita e pegação. Pouca gente conseguiu ficar no quarto em que dois "brothers" performaram um dueto desafinado e barulhento que não agradou a ninguém. Gustavo e Rodrigo passaram a noite roncando e acabaram com a paz que reina nesses primeiros dias de convivência. Não que seja novidade no BBB, mas a potência registrada nesse episódio impressionou. 

A gente faz graça, mas é sério. Ronco é a terceira causa de divórcios. Só perde para infidelidade e problemas financeiros, de acordo com a pesquisadora Rosalind Cartwright, do Centro Médico Rush, em Chicago.

Ela é uma autoridade nas pesquisas que mostram o impacto do ronco no casamento. Há outros dados que apontam que 25% dos casais dormem em quartos separados para conseguir ter boas horas de sono e não sucumbir à vontade de matar o cônjuge no meio da noite. 

Mas e o que fazer quando quem ronca é um amigo com quem se divide o quarto? Desafio maior, aguentar o ronco de alguém com quem nem tenho intimidade. 

Por um lado, é admirável que já de cara os dois tenham se sentido tão à vontade que dormiram profundamente no meio de tantos desconhecidos, que em breve poderão se tornar adversários ou aliados. Pode ter sido aquela primeira noite em que se permitiram relaxar depois de dias de ansiedade até a entrada na casa. Talvez seja apenas o ronco dos aliviados. Compreensível.

Por outro lado, se for um problema crônico, é curioso que, ao saber que participariam do BBB e teriam que dividir quarto com estranhos, não tenham tomado alguma providência para amenizar a sinfonia indesejada. 

O vaidoso Gustavo ficou mais incomodado por ter roncado em rede nacional do que por ter melado o sono dos companheiros. Foi além, disse que não ronca. A maioria das pessoas que ronca vive essa negação. Ninguém se orgulha de roncar.  Ainda que se façam piadas, é um problema de saúde que pode se tornar sério. É constrangedor para quem ronca, insuportável para quem tenta dormir e não consegue. 

Acaba com casamentos, parcerias de trabalho (já pensou ter que dividir o quarto numa viagem profissional e não conseguir pregar os olhos?), amizades (e viagem de férias?). Muito fácil azedar a convivência de gente que está na disputa de um prêmio de R$ 1 milhão e pode não pensar duas vezes em mandar para o paredão um roncador, para poder dormir em paz. 

Mariliz Pereira Jorge

É jornalista e roteirista.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem