Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

De faixa a coroa
Descrição de chapéu Miss Universo miss brasil

Miss Universo: Latinas estão fortes e Brasil pode vencer, dizem especialistas

Concurso de domingo (12) terá Teresa Santos como representante do país

Teresa Santos, Miss Brasil, durante desfile preliminar do Miss Universo 2021 - Menahem Kahana-10.dez.2021/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Especialistas em concursos de beleza consultados pela coluna, acreditam que a força das misses latinas, mais uma vez, vai se fazer presente na final do Miss Universo 2021. Porto Rico, Paraguai, Chile, Venezuela, Colômbia, Peru e Argentina são os países mencionados por eles. Além disso, claro, eles acreditam que a cearense Teresa Santos, 23, deve ter uma boa classificação ou até mesmo pode vencer a competição deste ano para o Brasil. Das Américas, ainda é destacada a representante dos Estados Unidos.

O show da final, agendado para a este domingo (12), será transmitido ao vivo pela internet, a partir das 21h, e também no serviço pago DirectvGo. Com 80 misses, a edição comemorativa de número 70 do Miss Universo acontece em Eliat, Israel, e é pela primeira vez sediada no país do Oriente Médio. O concurso de beleza mundial mais popular no Brasil, acontece pela segunda vez no ano, sendo que o último evento ocorreu em maio passado, direto da Flórida (EUA).

"A América Latina está forte como nunca. Sou verdadeiramente encantado pelas misses da Venezuela, Porto Rico, Colômbia e Paraguai, ainda gosto muito da Argentina e Chile. Acho que o Peru talvez não avance tanto neste ano e nem classifique", analisa João Ricardo Camilo Dias, curador da página Miss Brazil On Board.

Segundo ele, ainda devem ter boas classificações as misses europeias da República Tcheca, da Espanha e da Grécia; as misses africanas da Namíbia e da África do Sul; e, entre as asiáticas, a Miss Vietnã. Henrique Fontes, diretor do CNB (Concurso Nacional de Beleza) e também um dos responsáveis pelo site Global Beauties, concorda com o colega missólogo e ainda adiciona à lista as misses Índia, França, Portugal, Bélgica e a dona da casa, Israel.

"Acho interessante um concurso de Miss Universo em Israel, pois foge um pouco do que a gente tem visto como país sede. O país teve muita tradição nos principais concursos, em especial no Miss Universo e no Miss Mundo, entre os anos 50, pouco tempo após a nação ter sido criada, e a década de 70. Muita gente não sabe que, apesar de Israel não ser hoje uma força no setor, já teve um peso de faixa muito grande", explica Fontes.

A apresentadora de TV gaúcha Cris Barth, que é uma grande fã dos concursos de miss, também gosta das misses citadas, e ainda observa com simpatia a tailandesa e a polonesa. "Eu vejo a força das latinas, mas não descarto o avanço das outras regiões do mundo. Destaque para mim é a Miss Espanha e a Miss Índia, por quem sou apaixonada, acho elas espetaculares. Gosto muito também da Teresa!", complementa.

DESEMPENHO DA MISS BRASIL

Barth está muito positiva quanto ao desempenho da brasileira na final de domingo. Para ela, a cearense está fazendo um belíssimo trabalho e cresceu desde que foi eleita. "Embora tenha tido pouco tempo de preparação, acho que Teresa foi outra mulher para o Miss Universo. Ela subiu degraus na carreira, então acho que podemos, sim, ter muita expectativa em relação a ela", diz.

Uma das poucas misses Brasil de cabelos loiros da história, Teresa tem sido apontada como uma das favoritas da competição. Apesar de ter sido eleita há pouco tempo, cerca de um mês, a bordo de um navio de cruzeiro no litoral paulista, ela se diz preparada para o desafio. Em entrevista exclusiva para a coluna, a miss diz que observa com tranquilidade a cobrança dos fãs para uma boa classificação na final.

Fontes concorda com Barth, e não se surpreenderia com uma vitória do Brasil. "Acho a Teresa uma mulher muito bonita, fala inglês extremamente bem e tem até um sotaque muito bom. Ela é uma moça fina, elegante, está muito bem vestida e sinto que o Brasil vem se aproximando muito do título de Miss Universo na última década. Ela é uma forte candidata e não me surpreenderia ver a Teresa vencer."

Para Camilo Dias, um dos trunfos da moça, que é modelo e estudante de psicologia, é seu perfil de beleza internacional. "Teresa tem um lugar reservado ali no hall das favoritas. Eu estou animado com a participação dela. Ela está com um guarda-roupa primoroso, e acredito que o vestido da final será de muito bom gosto. Teresa tem um rosto internacional, uma beleza clássica e se comunica muito bem. É uma moça de um perfil com muita elegância e sobriedade. Vejo ela, sim, no Top 5 e até mesmo vencendo", finaliza.

A vencedora vai ocupar o trono que hoje pertence à mexicana Andrea Meza, que venceu em maio. Assim, ela terá um dos reinados mais curtos da história, com duração de cerca de sete meses. Na ocasião, a gaúcha Julia Gama, representante do Brasil, ficou em segundo lugar. As únicas brasileiras a vencer o concurso foram a baiana Martha Vasconcellos, em 1968, e antes dela a gaúcha Ieda Maria Vargas, em 1963.

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo e Mister Brasil. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias e comunicação corporativa.
Contato ou sugestões, acesse instagram.com/defaixaacoroa e facebook.com/defaixaacoroa

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem