De faixa a coroa

Com pandemia, Elís Miele pode bater recorde com título de Miss Brasil Mundo

Mineira eleita em setembro de 2019 vai passar coroa apenas em 2021

Imagem mostra mulher branca e cabelos lisos, de vestido verde

A mineira Elis Miele, 21, Miss Brasil Mundo 2019 Alice Sulzbach

A crise sanitária do novo coronavírus segue afetando a agenda dos concursos de beleza e, desta vez, alterou os planos do Miss Brasil Mundo. A edição que escolheria a soberana de 2020, inicialmente agendada para a primeira semana de março de 2021, teve de ser cancelada às pressas. O hotel que sediaria a competição, em Alagoas, foi mais uma vítima da pandemia e suspendeu suas atividades.

Em comunicado, o Iloa Resort, que fica em Barra de São Miguel, informa que vai cessar as operações hoteleiras do complexo e buscar uma nova administradora para o empreendimento. “Era grande a animação de todos com o Concurso Nacional de Beleza acontecendo em um lugar tão bonito, mas entendemos que o momento é difícil e de incerteza”, afirmou o diretor do Concurso Nacional de Beleza (CNB), Henrique Fontes.

Com isso, a Miss Brasil Mundo 2020, Elís Miele, 21, vai passar a coroa em janeiro de 2021, em Brasília, conforme anúncio realizado nesta quinta (29) no perfil do evento nas redes sociais. Com a mudança, ela vai bater um recorde: 17 meses de reinado, uma vez que foi eleita em setembro de 2019 –tornando-se assim uma das vencedoras há mais tempo no posto.

Com isso, a Miss Brasil Mundo 2020, Elís Miele, 21, vai passar a coroa em janeiro, em Brasília, conforme anúncio realizado nesta quinta (29) no perfil do evento nas redes sociais. Assim, ela vai bater um recorde, uma vez que foi eleita em setembro do ano passado e em janeiro de 2021 completa 17 meses de reinado, tornando-se assim uma das vencedoras há mais tempo no posto.

Até o momento, Elís já é a Miss Brasil Mundo com o mandato mais longo nos últimos 30 anos. Isso porque a pernambucana Simone Augusto, eleita em 1987, só passou a coroa em 1990 por causa de um hiato na competição, que ficou sem realização no país. No caso de Elís, a competição segue sendo realizada, porém a pandemia está adiando a próxima edição.

“Fico triste por conta da pandemia, mas feliz de poder desfrutar mais tempo como Miss Brasil. Não deixei de lado minhas atividades após concorrer no internacional em dezembro passado, e sigo aproveitando ao máximo meu tempo com o título”, disse ela em bate-papo exclusivo com a coluna.

Vale destacar que no Miss Mundo 2019, realizado em Londres, o projeto apresentado por Elís sobre o câncer de mama ganhou visibilidade mundial. A representante brasileira, dentre 115 candidatas, foi uma das cinco finalistas e ganhou o título de Miss World Americas.

AÇÕES PARA O OUTUBRO ROSA

Mesmo com a pandemia, Elís Miele não abandonou seus projetos voltados ao câncer de mama. Ela e outras postulantes aproveitaram o Outubro Rosa e participaram, na semana passada, de uma visita a um Centro de Acolhimento de Mulheres Especiais, em São Paulo, como forma de conscientização, mas também para doar produtos de higiene pessoal e alimentos. Elas ainda ensinaram automaquiagem às 60 mulheres do local, vítimas de violência domésticas.

Além disso, incentivadas por Elís, todas as candidatas de 2021 publicaram em suas redes sociais sobre o tema, com informações sobre o câncer de mama, exames preventivos e o autoexame. Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia, mais de 75% das mulheres brasileiras deixaram de fazer seus exames com medo do Covid-19, o que pode acarretar num aumento de diagnósticos tardios.

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo e Mister Brasil. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias e comunicação corporativa.
Contato ou sugestões, acesse instagram.com/defaixaacoroa e facebook.com/defaixaacoroa

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem