De faixa a coroa

Miss Brasil quatro vezes, Gabrielle Vilela é um dos destaques do Reina Hispanoamericana 2020

Concurso acontece no próximo sábado em Santa Cruz de La Sierra

Gabrielle Vilela, Miss Brasil Hispanoamericana 2020 - Instagram/gabriellevilela

O Reina Hispanoamericana é um concurso de miss não muito conhecido no Brasil, porém, faz parte de um circuito importante dentro do setor, que surgiu para celebrar a beleza hispânica e tem crescido de forma gradual. Algumas características singulares o destacam para ocupar esse patamar de relevância. Uma delas é que ele acontece religiosamente todos os anos desde que surgiu e no mesmo lugar.

Com sede na Bolívia, a disputa se passa todos os anos na cidade de Santa Cruz de La Sierra, exceto 2004 e 2005 que foi em Cochabamba  –neste ano, a 29ª edição do concurso será realizada no próximo sábado (8). A principal característica desse certame é o de oferecer, ao mesmo tempo, oportunidades para misses em diferentes momentos da carreira e uma oportunidade para consolidar a experiência na indústria da beleza. 

Exemplo disso é que, entre as brasileiras candidatas, algumas já haviam sido ou se tornaram depois Miss Brasil das franquias Universo ou Mundo, as duas principais vigentes hoje no país. Entre elas estão a paulista Patrícia Godói (Miss Brasil Universo 1991), a goiana Jane Borges (Miss Brasil Mundo 2006), a mineira Tamara Almeida (Miss Brasil Mundo 2008), a amazonense Mayra Dias (Miss Brasil Universo 2018) e, agora em 2020, a carioca Gabrielle Vilela, 28. 

Gabi, como é conhecida, tem uma história curiosa pois com mais esta experiência floreia seu currículo com quatro títulos de Miss Brasil. Ela representou o nosso país no Rainha Internacional da Pecuária em 2013, no qual sagrou-se vencedora, no Miss Mundo 2017, no Miss Grand International 2019 e, agora, no Reina Hispanoamericana 2020.

 

"Ter sido Miss Brasil quatro vezes é uma sensação incrível. Tanto no Miss Mundo, que foi o maior, quanto nos outros, eu me dediquei 200% e fui atrás desse sonho de trazer uma das grandes coroas internacionais para nós. Agora no Reina não será diferente. Eu já tinha encerrado meu ciclo no mundo miss em 2019, mas a oportunidade apareceu, resolvi aceitar o convite e novamente tentar esse sonho", diz ela, que é natural de Angra dos Reis (RJ).

MISS DE CARREIRA

Gabrielle Vilela começou a sua história ao vencer o Miss Angra dos Reis Mirim 1991 e, alguns anos depois, o Miss Angra dos Reis (Universo) 2011. Em seguida disputou o estadual do mesmo ano, no qual ficou em terceiro lugar.

Depois disso, ela tentou o Miss Brasil Mundo em 2013 e 2014, antes de vencê-lo, mais preparada, em 2017. Com toda essa experiência, Gabi foi nomeada Miss Grand Brasil em 2018, ou seja, não competiu com outras meninas pela vaga.

"Hoje eu amo esse universo dos concursos de beleza e vivi intensamente cada uma das oportunidades que tive, inclusive essa agora. Comecei com 19 anos mais por vontade da minha família e, ao longo do tempo, fui entendendo a representatividade da mulher nisso tudo, de poder dar voz a muita coisa com isso. No início eu não entendia muito o objetivo de ser miss mas, ao mesmo tempo, me emocionava muito quando eu entrava no palco e eu sabia que era ali que eu queria estar", diz Vilela.

Gabi disputa o Reina Hispanoamericana com outras 28 candidatas, que brigam pela coroa que hoje pertence à venezuelana Nariman Battikha. Antes dela, cinco brasileiras já ostentaram o título que, aliás, teve como primeira vencedora a paulista Patrícia Godói em 1991. Depois vieram Carolina Muller (1995), Cecilia Valarini (2003), Francine Eickemberg (2006) e Vivian Noronha (2008). O jejum para o Brasil é de 11 anos.

Após o Reina, Gabi quer agora trilhar um caminho diferente, porém similar. "Eu trabalho como modelo desde os 19 anos e pretendo continuar. Hoje eu também preparo misses e tenho planos de criar uma empresa minha, mas ainda não sei exatamente do que será. Além disso, eu amo trabalhar atrás e na frente das câmeras, e quero seguir nesse caminho. Descobri que, além de uma miss de essência, eu tenho sangue de artista e vou desenvolver isso com muito amor!", finaliza.

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil e Miss Universo. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias, como a da Fox.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem