De faixa a coroa

Tailândia vence pela primeira vez a coroa de Miss International; Brasil não se classifica

Edição quebrou recorde com 83 candidatas e foi realizada em Tóquio

Miss Tailândia vence o Miss International 2019
Miss Tailândia vence o Miss International 2019 - Divulgação

A tailandesa Sireethorn Leearamwat, 25, venceu o concurso Miss International 2019, conhecido no Brasil como Miss Beleza Internacional, na madrugada desta terça-feira (12). Ela recebeu a coroa da venezuelana Mariem Velazco, 21, campeã de 2018, se tornando a primeira representante de seu país a vencer o evento, que existe desde 1960. 

Modelo e farmacêutica, Sireethorn deixou para trás outras 82 candidatas em evento realizado em Tóquio, capital do Japão. Com o quórum deste ano, o concurso quebrou o recorde de competidoras do ano passado, que chegou a 77 misses do mundo todo. 

A Miss Brasil, Carolina Stankevicius, 24, não se classificou nos cortes que definiram os chamados “tops”. Apesar disso, a estudante de medicina de Niterói (RJ) fez uma campanha considerada exemplar pelos fãs de concursos. Entre as brasileiras que já disputaram o título estão as atrizes Grazi Massafera (2004) e Rayanne Morais (2009).

O Brasil venceu o certame uma única vez, em 1968, com a carioca Maria da Glória Carvalho. Entre as boas colocações mais recentemente o país entrou no top 10 em 2015 e 2014 e no top 15 entre 2011 e 2013. Porém, nenhuma brasileira se classifica desde 2016. 

Vale lembrar que, entre 1995 e 2011, a enviada tupiniquim ao Miss International era a segunda ou terceira colocada do Miss Brasil, cuja primeira colocada era enviada para o Miss Universo. Desde 2017, um concurso próprio seleciona as candidatas para a competição.

Na classificação final deste ano, ficou em segundo lugar a Miss México, Andrea Toscano, seguida pela Miss Uganda, Evelyn Namatovu Karonde. No grupo de finalistas entraram ainda as misses Colômbia, Alejandra Vengoechea, e Reino Unido, Harriotte Lane, respectivamente em quarto e quinto lugares.

Uma curiosidade da edição está o retorno do Marrocos à competição com a candidata Sonia Ait Mansour, 26 —o país não participava desde 1969. De pai marroquino e mãe francesa, a candidata é também uma veterana em concursos de miss e já participou de outros seis concursos internacionais. 

O resultado do concurso é mais um da temporada dos grandes concursos internacionais, que acontece entre outubro e dezembro. Para este ano, tem ainda na agenda o Miss Supranational, que será em 6 de dezembro na Polônia; o Miss Universo, no dia 8 de dezembro nos EUA; e o Miss Mundo, em 14 de dezembro no Reino Unido. 

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil e Miss Universo. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias, como a da Fox.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem