Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Zapping - Cristina Padiglione

'Quanto Mais Vida, Melhor!': Joana é assaltada e perde o bebê

Mariana Nunes comenta o crescimento da personagem e dá detalhes sobre as cenas

Após queda, Joana é operada por Flávia/Guilherme, mas perde o bebê - 7.abr.2022/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Campinas

As próximas cenas de "Quanto Mais Vida, Melhor!" trarão uma reviravolta na vida de Joana, personagem de Mariana Nunes, 41. A médica, que começou na trama em segundo plano, tem ganhado profundidade à medida que a história se desenvolve. Segundo a atriz, esse movimento reflete um processo interno da médica, que passou a se priorizar.

"Acho muito maravilhosa essa virada da Joana, que começa a novela muito a reboque de outros personagens e, numa grande sacada do autor, ela para de prestar atenção no externo e começa a conversar com o interno, entendendo quais são suas reais necessidades e vontades", observa a atriz.

Mariana destaca o processo vivido pela personagem: "A grande virada é quando ela se conecta com o que quer, e o que ela quer é ser mãe. Aí, Joana começa a agir para que isso aconteça. Isso é uma grande experiência de amor próprio. E, como diz bell hooks, 'amor é ação'".

Apesar da boa fase, a médica viverá momentos sensíveis nos próximos dias. Grávida, ela sofrerá um assalto que resultará em uma queda. Joana precisará passar por uma cirurgia e fará Guilherme (Mateus Solano) prometer estar à frente da operação, sem saber que Flávia (Valentina Herszage) está em seu corpo, fruto da troca de identidade promovida pelo enredo. Após o procedimento, a personagem terá perdido o bebê e terá de recomeçar o sonho de ser mãe.

"No caso da Joana, é uma decisão, uma escolha, uma vontade. Então, acho muito bonito a gente poder retratar uma mulher que tem a maternidade como um objetivo. É uma forma de realização que funciona para ela, não para todas as mulheres. E é uma mulher que tem condições financeiras de fazer esse tratamento", comenta a atriz.

Mariana destaca a importância de se discutir sobre a maternidade compulsória e diferencia a escolha de sua personagem da opção de outras mulheres. "Cada vez mais a gente tem aceitado e entendido que tem mulheres que optam pela não gravidez e, por isso, não são menos mulheres", pontua.

Após perder o bebê, Joana dividirá sua dor com Marcelo (Bruno Cabrerizo), seu companheiro. A atriz conta que a relação entre os personagens a encanta pela sinceridade e o amor que um nutre pelo outro. "Com a perda do bebê, ele se mostra super junto dela. É muito bonito!", diz.

Mariana destaca a cena após a cirurgia, em que Joana acorda sob efeitos dos sedativos. "Ele sabe que aquele era um desejo dela, mas era também uma vontade dele. Para ele é um baque muito forte, porque ele teve a possibilidade de ter um filho com a mulher que ele ama. E o Bruno fez maravilhosamente bem, acho que ele está arrasando como Marcelo", conclui a atriz.

Confira o que acontece na cena:

Joana será roubada por uma pessoa enquanto caminha na rua. Ao ter a bolsa puxada, a médica vai se desequilibrar e cair sobre o meio fio. Apesar do susto, ela vai até a Clínica Monteiro Bragança para dar alta a um paciente, acompanhada por Marcelo (Bruno Cabrerizo). Sentindo-se bem, a médica planeja sair com o namorado para jantar.

Já no hospital, o casal encontra Guilherme/Flávia e Flávia/Guilherme (Valentina Herszage), quando Joana sente uma tontura e acaba desmaiando. Depois de ser socorrida, ela desperta com dores e suspeita ter um rompimento de baço. É aí que ela faz o apelo a Guilherme, sem saber que Flávia é quem está em seu corpo. Para acalmá-la, eles garantem que o médico vai operá-la.

Já no centro cirúrgico, para surpresa da equipe, Guilherme/Flávia avisa que quem fará a operação será Verônica, nome inventado para despistar os colegas. Flávia/Guilherme então entra disfarçada com máscara, touca e óculos, e assume os trabalhos. Em uma cirurgia delicada, ela consegue salvar a vida de Joana, mas o bebê não resiste. No quarto, cabe a Marcelo dar a triste notícia para a médica.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem