Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Zapping - Cristina Padiglione
Descrição de chapéu LGBTQIA+

BBB impulsiona o debate sobre diversidade nas redes

Com Lina, Tiago e Natália, transfobia, gordofobia e racismo pautam conversas

Lina, Naiara e Jessi conversando
Lina, Naiara e Jessi formam aliança no jogo - Globoplay/Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Campinas

Desde antes de sua estreia, o Big Brother Brasil tem pautado debates nas redes sociais: primeiro, com as especulações sobre possíveis participantes, depois, com o anúncio dos nomes e, após a estreia, com a repercussão dos acontecimentos da casa.

Desde o início do reality, em 17 de janeiro, houve um aumento no número de publicações relacionadas à diversidade, reflexo do elenco que compõe a casa.

Um levantamento realizado pela agência de análise de dados MAP aponta que a diversidade foi o terceiro assunto com maior repercussão nas redes sociais no primeiro mês do ano, diretamente relacionado a discussões pautadas pelo BBB. O tema ficou atrás apenas de saúde, com destaque para a vacinação, e das eleições deste ano.

A transexualidade, representada pela participante Linn da Quebrada, foi um dos principais temas de publicações na internet. Segundo o levantamento, o combate à transfobia teve menção positiva de 96% dos internautas nas redes sociais. A cantora e atriz, que se apresentou como travesti, tem o pronome "ela" tatuado na testa, mas foi chamada pelo pronome masculino algumas vezes por outros participantes.

O caso repercutiu no Twitter, onde internautas passaram a denunciar o comportamento dos brothers e sisters como transfobia contra a artista. A situação só começou a mudar quando o apresentador, Tadeu Schmidt, perguntou a Lina, ao vivo, como ela gostaria de ser referenciada, alertando de vez os desavisados.

Outro tema recorrente é o racismo, observado de forma objetiva em alguns momentos, e por meio de sutilezas, em outros. No Twitter, não foram poucos os apontamentos de internautas a comportamentos racistas contra Natália, mulher negra com vitiligo, dentro da casa.

No início da semana, um vídeo em que Laís e Bárbara aparecem fazendo gestos semelhantes a uma imitação de macaco, enquanto falavam sobre a sister, viralizou no Twitter. O caso não foi comentado durante o programa até agora.

Já Douglas Silva foi alvo de racismo fora da casa. A esposa do ator, Carol Silva, falou em suas redes sociais que ela e sua família receberam mensagens de ódio e de preconceito contra o marido, e que iria à Justiça para identificar os responsáveis.

Apesar de também provocar discussões, o posicionamento contra o racismo teve adesão de 47% das publicações relacionadas ao tema. Vale ressaltar que outras manifestações fora do BBB ligadas ao racismo também foram contabilizadas no levantamento, como a morte do congolês Moïse Mugenyi Kabagambe, assassinado no Rio de Janeiro.

Segundo o estudo, as manifestações sobre Kabamgabe alcançaram 9% de participação nas redes sociais nos dias 30 e 31 de janeiro, enquanto o BBB atingiu 11,5%. A empresa analisou uma amostra de um universo diário de 1,4 milhão de postagens no Twitter e em perfis abertos do Facebook.

O terceiro assunto relacionado à diversidade é a gordofobia, pautada nas redes sociais por meio da participação de Tiago Abravanel no BBB. No início do reality, o ator enfrentou dificuldades com o tamanho das toalhas de banho e chegou a perguntar se seria penalizado por usar a toalha de piscina no dia a dia, além de ter falado sobre o tema com os participantes da casa.

As manifestações contra a gordofobia alcançaram 91% das postagens relacionadas ao assunto em janeiro, segundo o levantamento da Map.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem