Zapping - Cristina Padiglione

Cassetas poderão debochar de João Doria no novo humorístico da TV Cultura?

'Se existe alguma 'blindagem', não nos foi apresentada', diz Cláudio Manoel

Conversa Piada com , Beto Silva, Claudio Manoel, Helio de la Peña e Hubert Aranha - Nando Chagas/Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

O humor é sempre bem-vindo, mas muitos políticos perdem a chance de rir quando suas imagens são alvo de piada. Neste sábado (16), a TV Cultura, mantida pelos cofres do governo do Estado de São Paulo, promoverá a volta de quatro dos seis integrantes do antigo Casseta & Planeta ao ar, com o Conversa Piada, programa semanal que pretende rir de fatos e figuras que se destacaram ao longo dos sete dias anteriores.

Mas será que o deboche é irrestrito e valerá também satirizar o governador de São Paulo, atualmente João Doria, chefe da vez na administração dos repasses da verba pública que sustenta a TV Cultura em pelo menos 60% de seus custos?

"O tema sequer foi tratado", disse Cláudio Manoel à coluna. "Nosso objetivo não é 'provar independência', mesmo porque não temos que provar nada a ninguém. A ideia é sacanear/brincar quem der motivo, e não correr atrás de supostas 'isonomias' pra saciar vontades alheias", explica o humorista e documentarista.

"Em suma, quem der motivo pra piada será um provável alvo. Se existe alguma 'blindagem', não nos foi apresentada." O novo programa nada tem a ver com o antigo Casseta & Planeta, mas está mais próximo das raízes dos humoristas, os jornais Planeta Diário e Casseta Popular, produzidos por eles na época em que eram universitários.

O "Conversa Piada" dispensará, por exemplo, grandes caracterizações com maquiagem e figurino, trazendo os quatro de cara lavada para satirizar o noticiário da semana. No máximo, poderá haver paródias musicais.

Os cassetas não foram contratados pela emissora, ou não de modo direto. O acerto do quarteto, composto por Hélio de La Peña, Hubert Aranha e Beto Silva --além de Cláudio Manoel-- foi feito por meio de uma produtora.

De todo modo, esse ainda é um período de testes. O quarteto fechou acordo inicial para dez programas, ficando no ar, portanto, até a segunda semana de dezembro. "Caso todos estejam contentes, partimos pra algo mais duradouro. Aí, não faço ideia como será o acordo", fala Cláudio.

A proposta é bem-vinda. Desde o fim do "Zorra" e do quadro "Isso a Globo Não Mostra", no Fantástico, o humor feito com base no noticiário político sumiu da TV aberta.

É um desperdício deixar de explorar as bizarrices que tomam conta do cenário político atual. No momento, o único programa com viés político, disposto a ridicularizar o noticiário, é o Greg News, com Gregório Duvivier, colunista da Folha, que vai ao ar pelo canal pago HBO, mas também é disponibilizado de graça no YouTube.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem