Televisão

Ex-cassetas voltam a levar humor à TV aberta e querem furar bolhas da web

Beto Silva, Claudio Manoel, Helio de la Peña e Hubert Aranha chegam à Cultura

Da esq. para a dir.: Beto Silva, Claudio Manoel, Helio de la Peña e Hubert Aranha, idealizadores do Conversa Piada

Da esq. para a dir.: Hubert Aranha, Helio de la Peña, Beto Silva e Claudio Manoel, idealizadores do Conversa Piada Nando Chagas/Divulgação

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Após quase 11 anos do fim do Casseta e Planeta Urgente na Globo, quatro dos humoristas idealizadores da atração voltam à TV aberta com um novo programa cômico. É o Conversa Piada, desta vez, na Cultura e com estreia na noite deste sábado (16).

O formato também é diferente. Nada de esquetes, "Organizações Tabajara" ou paródias de novelas. Como o próprio nome sugere, a proposta é uma conversa bem-humorada entre os amigos Beto Silva, Claudio Manoel, Helio de la Peña e Hubert Aranha, que estão ali como eles mesmos, e não mais como personagens.

"A ideia é a gente conversar sobre o que está rolando de importante ou não importante por aí, no mundo e no Brasil. Não tem a ver com o que a gente fazia no Casseta. Não tem esquete, não tem personagem, é cara limpa. É um papo de bar, mas um papo de bar com foco", diz Beto Silva em conversa online com jornalistas na quinta-feira (14).

Para Claudio Manoel, a atração é um reencontro do humor com a TV aberta, já que atualmente existem poucas opções do gênero no ar. Com o fim do Zorra na Globo, ele cita que só sobraram A Praça É Nossa, no SBT, e o Encrenca, na Rede TV! —vale lembrar que os integrantes originais deste último foram para a Band, emissora em que vão estrear em breve o Perrengue na Band.

"Na TV aberta hoje só [humor] involuntário, você ri de coisas tipo o futebol, o jornal", afirma Claudio. Hélio de la Peña complementa que o humor da TV mudou para as redes sociais, local em que ficou mais nichado.

"As redes sociais têm essa característica de formar bolhas, e a gente tem essa intenção de furar as bolhas", diz. Para ele, a TV aberta é o espaço que agrega diversos setores e opiniões. "A gente não está ali com a intenção de passar uma bandeira ou coisa nenhuma, a gente está ali a fim de zoar com os assuntos que estão rolando", acrescenta.

"Eu tenho pretensões políticas, mas isso só vou dizer adiante", brinca Claudio Manoel. Os outros ironizam se ele seria a terceira via, mas dizem na sequência que o humorista está mais para a "terceira dose" e a "terceira idade".

Quais serão os assuntos abordados? Eles afirmam que não há restrições, desde que avaliem que seja interessante para uma piada. "Não vamos falar só sobre política, mas sobre tudo: televisão, música, futebol, que a gente gosta tanto", diz Beto Silva.

Um pronunciamento polêmico do presidente, o ator de novela flagrado pagando micou ou um jogador que foi expulso por dar um soco no juiz são alguns exemplos do que pode virar piada na atração. O Conversa Piada é gravado às quartas para ser exibido aos sábados.

"Até brincar com o 'não assunto' é divertido, porque tem muita coisa que não é nada e dá piada. E tem muita coisa que é tão séria que não dá piada", afirma Claudio Manoel. Alguns temas, prossegue ele, ficam num terreno delicado como a política.

"Tem que ter cuidado para não estar só fazendo eco de algo que já está sendo falado demais. Mas, ao mesmo tempo, não dá para escapar muito".

O humorista resume que a ideia é "falar bobagem". "É bom, é um negócio que desopila. Todo o mundo se leva muito a sério. Todo o mundo está muito dentro de uma trincheira desconfiando de quem está do outro lado."

E a proposta deles, destaca Claudio, é chegar como "uma metralhadora giratória", com um humor que tem uma "certa irresponsabilidade". "Obviamente sabendo que estamos em um veículo na televisão aberta, não estamos falando em um ambiente privado", pondera.

Questionados sobre como está sendo o relacionamento com a Cultura, Claudio contemporiza: "Me pergunta daqui um mês."

"Espero que seja legal, está sendo legal até agora", acrescenta. O Conversa Piada surgiu após a direção da emissora entrar em contato com eles em busca de um projeto de comédia.

Também indagados se convidaram os outros ex-cassetas Marcelo Madureira e Reinaldo, eles disseram que não, porque eles quatro têm trabalhado mais próximos nesses últimos dez anos desde o fim do Casseta —fizeram a turnê de 30 anos do Casseta, por exemplo.

"A gente já vinha criando coletivamente nesses últimos dez anos. E como a gente queria se afastar do que é o Casseta, não fazia sentido fazer um outro programa com a mesma formação. Estamos nós que estamos mais próximos", justificou Helio.

O Conversa Piada também terá o quadro Quatro Contra Um, em que os quatro humoristas fazem perguntas para uma celebridade. Já participaram Pedro Bial, Bruno Mazzeo, Miguel Falabella e Marisa Orth.

Em outro quadro, a repórter Paloma Santos vai às ruas para ouvir a opinião do público. A atração ainda terá pequenos quadros que abordarão assuntos como estatísticas que ninguém ainda mostrou; um fato da semana que pode ser o tema de um clipe com uma paródia musical; imagens de arquivo que viram piadas quando distorcidas de seu sentido por meio de uma locução ou dublagem engraçada; fotomontagens com personalidades que foram notícia na semana, entre outros.

Conversa Piada

  • Quando Sábado, às 22h
  • Onde TV Cultura
  • Elenco Beto Silva, Claudio Manoel, Helio de la Peña e Hubert Aranha
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem