Zapping - Cristina Padiglione

Wesley Safadão só soube que estava infectado quando iria ao Faustão

Teste e condição assintomática reforçam alerta sobre retomar gravações em estúdio

Safadão em participação no Boteco do Ratinho, em junho - Eve Schwarz/SBT

O cancelamento da presença de Wesley Safadão na próxima edição do Domingão do Faustão ocorreu horas antes da gravação do programa, nesta sexta-feira (28), quando ele recebeu o resultado do teste de Covid-19 com resultado positivo. O caso foi o primeiro alerta concreto do risco que representa a retomada das gravações na emissora.

Ao mesmo tempo, a realização de testes para profissionais e convidados mostrou que a empresa vem agindo com cautela para a retomada.No lugar de Safadão, o Domingão terá um quadro de reserva sobre brega, como já houve em relação a axé e sertanejo.

Safadão, no entanto, chegou a ser anunciado como a grande atração do programa deste domingo. Na ausência dele, a atração mais esperada para o dia será o anúncio dos primeiros nomes do elenco da próxima rodada da Dança dos Famosos.

POLÍCIA

Erom Cordeiro traduz aí a tensão da série “A Divisão”, boa produção policial que chega à 2ª temporada no Globoplay no dia 10. Inédita na TV, a 1ª safra estreia dia 7 no Multishow, coprodutor do título, idealizado por José Jr., do Afro Reggae. O elenco conta também com Silvio Guindame, Dalton Vigh e Natália Lage  

A Divisão, série Globoplay
Erom Cordeiro na 2ª temporada da série A Divisão - Divulgação

MOVIMENTO

O que Maju Coutinho e Paolla Oliveira têm em comum? Paulistanas, ambas nasceram e foram criadas na zona leste de São Paulo. A vizinhança de bairros é um dos assuntos na conversa entre elas e Serginho Groisman no Altas Horas do dia.

Maju Coutinho
Maju Coutinho no 'Altas Horas' - Reprodução/Divulgação

RACISMO

Maju fala ainda sobre os rumos dos movimentos antirracistas em andamento no país: “Fico muito feliz ao perceber a participação das pessoas que não são negras, dos brancos, nessa luta. Isso para mim foi um marco de 2020. Não é uma luta só nossa, é uma luta de todos. Enquanto houver racismo, não há democracia. Eu acredito nisso.” Paolla concorda com Maju.

REVISITA

Cinco anos após receber o prêmio Vladmir Herzog pela cobertura da chacina de Osasco e Barueri, a equipe do Profissão Repórter volta ao local do emblemático caso de violência em São Paulo, para mostrar como estão sobreviventes e familiares dos mortos. Vai ao ar domingo (30), no Fantástico.

AUDIÊNCIA

5,7 pontos teve o Repórter Record Investigação de quinta (27), elevando ibope

23 pontos marcou “Êta Mundo Bom”, mantendo audiência em alta na Globo

A BOA DO DIA

Maisa bate um papo exclusivo com Katy Perry, recebe Cleo e Luisa Sonza | SBT, às 14h15

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem