Biblioteca da Vivi

Saiba o que as pessoas leem e releem na quarentena

Lançamentos de autores conhecidos ganham espaço entre os leitores

Tal qual o livro "O Milagre da Manhã" (R$ 39,90, Best Seller), que viu sua boa vendagem aumentar na pandemia e impulsionar o lançamento de "O Milagre da Manhã para Empreendedores" (R$ 39,90, 238 págs., Best Seller) e "O Milagre da Manhã para Famílias" (R$ 39,90, 266 págs., Best Seller), "1984" (R$ 39,90, 392 págs., Globo Livros), de George Orwell, foi outra obra com bom desempenho durante a quarentena a impulsionar outras do mesmo autor. Só que não são lançamentos, mas, sim, novas edições de clássicos.

É o caso de "Revolução dos Bichos" (R$ 24,90, 128 págs., Globo Livros) e "Lutando na Espanha" (R$ 44,90, 392 págs., Globo Livros). O primeiro, embora dispense apresentações, trata-se de um manifesto contra toda e qualquer forma de ameaça à liberdade.

Nele, uma fazenda é tomada pelos seus animais, que expulsam os humanos e promovem um novo regime de trabalho colaborativo. Juntos, porcos e galinhas, cavalos e patos criam seus lemas e buscam o progresso e a justiça.

Já o segundo, "Lutando na Espanha", é um misto de relato autobiográfico, narrativa de guerra e literatura de viagem. Aos 33 anos, George Orwell viaja para a Catalunha para fazer a cobertura jornalística da Guerra Civil, mas logo se alista nas brigadas populares para combater o Exército fascista do general Franco.

A prestigiada autora Chimamanda Ngozi Adichie, por sua vez, lança na pandemia a versão infantojuvenil e ilustrada de "Sejamos Todos Feministas" (R$ 59,90, 88 págs., Cia. das Letrinhas), livro pelo qual ficou famosa no Brasil.

Nesta edição adaptada para leitores de todas as idades e ilustrada, Chimamanda convida os jovens a refletir sobre o que significa ser feminista no século 21.

Outro livro feminista que merece destaque na coluna é "As Inseparáveis" (R$ 39,90, 128 págs., Record), o romance autobiográfico inédito de Simone de Beauvoir (1908-1986). Nele está uma história essencial para a formação de uma das mais importantes intelectuais do século 20. A trama acompanha a vida de duas amigas que se conhecem em meio à Primeira Guerra Mundial.
*
A Avon vai deixar de vender livros por meio de seu catálogo a partir do próximo semestre. Ainda que a importância da marca nas vendas venha caindo nos últimos anos, a notícia não agrada a parte do mercado editorial. Empresa fez do porta a porta importante canal de vendas no começo do século 21 e popularizou best-sellers.

Num país em que, segundo o IBGE, apenas 17,7% dos municípios tinham uma livraria em 2018, a capilaridade das revendedoras da marca de beleza era importante na popularização dos livros, dizem editores. Com informações da minha amiga Úrsula Passos, na coluna Painel das Letras.

MAIS VENDIDOS

FICÇÃO
1 "Box 1984 + A Revolução dos Bichos", de George Orwell (Cia. das Letras)
2 "1984", de George Orwell (Cia. das Letras)
3 "Corte de Espinhos e Rosas", de Sarah J. Maas (Record)
4 "O Homem de Giz", de C.J. Tudor (Intrínseca)
5 "Orgulho e Preconceito", de Jane Austen (Martin Claret)

NÃO FICÇÃO
1 "Mulheres que Correm com os Lobos", de Clarissa Pinkola Estés (Rocco)
2 "Sapiens - Uma Breve História da Humanidade", de Yuval Noah Harari (Cia. das Letras)
3 "Uma Terra Prometida", de Barack Obama (Cia. das Letras)
4 "Minha História", de Michelle Obama (Cia. das Letras)
5 "Pequeno Manual Antirracista", de Djamilla Ribeiro (Cia. das Letras)

AUTOAJUDA
1 "A Sutil Arte de Ligar o Foda-Se", de Mark Manson (Intrínseca)
2 "A Coragem de Ser Imperfeito", de Brené Brown (GMT)
3 "Minutos de Sabedoria", de Carlos Torres Pastorino (Vozes)
4 "O Poder do Agora", de Eckhart Tolle (GMT)
5 "Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas", de Dale Carnegie (GMT)

Fonte: Livrarias Saraiva (de 1º a 7 de março de 2021)

Biblioteca da Vivi

Vivian Masutti, 35, é jornalista formada pela Cásper Líbero e bacharel em letras (português e francês) pela USP (Universidade de São Paulo), onde também cursou a Faculdade de Educação e obteve licenciatura plena em língua portuguesa. No Agora, é coordenadora da Primeira Página.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem