Biblioteca da Vivi

Aprender como leitor pede ousadia da primeira à última página

Romper preconceitos é fundamental para tirar prazer

 Olivia Colman no Golden Globe
Olivia Colman no Golden Globe - Reuters

Foi proposital a escolha de livros tão diferentes uns dos outros para serem dicas desta semana da coluna. Para o leitor já iniciado, mais importante do que ler aquele gênero de que mais gosta –como o romance, o suspense ou a comédia– é perder o preconceito e conhecer outros estilos.

É claro que, para isso, a pessoa tem de estar disposta a arriscar. E é aí que a literatura mais uma vez se confunde com a vida, já que ninguém está muito disposto a sair da zona de conforto nem de correr muitos riscos, não é mesmo?

Mas é somente assim que conseguimos criar um senso crítico que pode valorizar ainda mais o estilo de que gostamos ou, quem sabe, reconhecer que existem produções que podem ser tão boas quanto ou ainda melhores.

RAINHAS EM ALTA

Com o Oscar neste ano para a atriz Olivia Colman, pela performance como a rainha de “A Favorita”, fica ainda mais atual ler “Catarina de Médici” (R$ 89,90, 528 págs., Planeta).

LEMBRAR E ESQUECER

“Os Prós e Os Contras de Nunca Esquecer” (R$ 44,90, 320 págs., Intrínseca) é um romance com o que muitos sonhamos: o homem que não queria lembrar e a menina que não esquecia.

BELA VERSÃO

Esta nova edição de “Reinações de Narizinho” (R$ 64,90, 248 págs., Cia. das Letras) é um convite a novas e antigas gerações a lerem o melhor de Monteiro Lobato (1882-1948).

Biblioteca da Vivi

Vivian Masutti, 34, é jornalista formada pela Cásper Líbero e bacharel em letras (português e francês) pela USP (Universidade de São Paulo), onde também cursou a Faculdade de Educação e obteve licenciatura plena em língua portuguesa. No Agora, é coordenadora da Primeira Página.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias