Aventura na cozinha

Versão de estrogonofe com frango é perfeita para qualquer ocasião

Veja como preparar receita sem carne vermelha, mas igualmente saborosa

Estrogonofe de frango Juliana Ventura/Folhapress

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Olá, cozinheiros! Bem-vindos a mais uma aventura na cozinha!

Quando na escola de gastronomia aprendi a preparar o “estrogonofe tradicional”, ele não tinha absolutamente nada a ver com as receitas que estava acostumada a provar. Nada de molho vermelhinho que amo ou do gosto acentuado de creme de leite, que detesto. O prato levava filé mignon em tiras finas, cogumelos fatiados, cebolas em fatias, mostarda escura e creme de leite fresco.

Saboroso. E possivelmente mais parecido com as primeiras versões do prato que hoje é mundialmente famoso. Mas sinceramente menos gostoso —quiçá pela falta do componente afetivo— do que o estrogonofe da minha mãe.

As histórias divergem. A mais conhecida diz que o estrogonofe nasceu em uma família rica (os Stroganov), criado pelo cozinheiro da casa. O prato mesclava referências típicas do país, como o uso de creme azedo, com técnicas francesas. Como acontece com muitas preparações, o estrogonofe foi ganhando adaptações pelo mundo.

O que nos leva de novo à cozinha da minha mãe e à maneira como eu preparo o estrogonofe. Minha família não gosta de creme de leite. Daí, que cresci saboreando um estrogonofe muito mais vermelho do que qualquer outro disponível em restaurantes ou em casas de amiguinhos.

Minha descoberta pessoal do creme de leite fresco —muito mais suave em sabor (e um pouco mais caro) do que o creme de leite em lata— mudou ligeiramente minha maneira de preparar, aproximando do tal original. Porém, mantendo a acidez e a cor conferidas pelo tomate e pelo ketchup (que acho imprescindíveis).

A versão que apresento hoje tem como marca o uso dos elementos vermelhos e também a troca do filé mignon pelo frango. A receita com carne branca já é quase um clássico (assim como a de camarão) e tem como principal chamariz em tempos de inflação o fato de usar como ingrediente principal uma carne bem mais barata. O shitake faz um belo par com o frango, e eu sempre recomendo cogumelos frescos em receita de estrogonofe. Na falta dele, porém, use o em conserva sem medo.

Fique em casa e vamos para a cozinha? Até a próxima!


ESTROGONOFE DE FRANGO

Dificuldade: Médio
Rendimento: 6 pessoas

Ingredientes
500 g de filé de peito de frango
1 cebola média
50 ml de vodca
200 g de cogumelo shitake
1 lata de tomate pelado
200 ml de creme de leite fresco ou UHT
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
Suco de 1 limão
2 colheres (sopa) de ketchup
1 colher (sopa) de mostarda
1 colher (sopa) de molho inglês
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
Sal e pimenta-do-reino a gosto

MODO DE FAZER

  1. Corte o peito de frango em cubos pequenos. Tempere com sal, pimenta e suco de limão.

  2. Em uma panela grande, doure a cebola bem picada no azeite. Adicione o frango temperado, o molho inglês e a farinha e misture bem. Tampe e deixe cozinhar por dois ou três minutos.

  3. Com a ajuda de uma concha de metal, flambe a carne. Para isso, coloque a vodca na concha, aproxime-a de uma boca de fogão acesa e espere que a bebida pegue fogo levemente. Adicione então à carne. Uma labareda vai levantar. Espere que o fogo baixe e mexa bem.

  4. Coloque o ketchup, a mostarda e os tomates pelados picados. Misture.

  5. Acrescente o shitake em fatias e cozinhe por 15 minutos.

  6. Adicione o creme de leite, acerte o sal e a pimenta. Sirva com arroz e batata palha.

(A)ventura na cozinha

Juliana Ventura, 36, é jornalista formada pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), pós-graduada em gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi e professora de culinária para crianças.
email: aventuranacozinha@grupofolha.com.br
Instagram: @venturanacozinha

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem